A PSP vai trabalhar em articulação com a Polícia Municipal durante os Santos Populares, em Lisboa, bem como com as juntas de freguesia, associações e coletividades que costumam estar envolvidas nos festejos, foi referido em conferência de imprensa. O objetivo é "que ninguém tenha a tentação de abrir as suas portas para criar ajuntamentos", já que os arraiais estão proibidos.

Recorde-se que depois de ter sido anunciado que as marchas populares não vão desfilar pela Avenida da Liberdade, a Câmara de Lisboa anunciou que não iria autorizar a realização de arraiais populares devido à pandemia de covid-19, com Fernando Medina a apelar aos cidadãos para que compreendam a situação e evitem aglomerações.

As medidas a implementar durante o período dos Santos Populares na cidade de Lisboa foram apresentadas hoje numa conferência de imprensa conjunta da Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo (ARSLVT), da Câmara Municipal de Lisboa, através da Polícia Municipal, e do Comando Metropolitano de Lisboa da PSP.

Neste âmbito, a intervenção da PSP tem como "absolutamente prioritário" o eixo central de Lisboa, nomeadamente as zonas do Bairro Alto, Cais do Sodré e Avenida 24 de Julho, "em que a polícia vai, também em coordenação com a Polícia Municipal, efetuar algum controlo de acessos, portanto haverá limitações à circulação rodoviária e pedonal".

“Como é sobejamente conhecido, os ajuntamentos propiciam uma cadeia de contágio e compete à polícia fazer cumprir a legalidade. Em primeiro lugar, porque existe um dever cívico ainda de recolhimento domiciliário, isto é importante que todos saibamos: só devemos sair de casa apenas para deslocações absolutamente indispensáveis”, apelou o superintendente da PSP Domingos Antunes.

As autoridades frisaram também as questões relativas ao consumo de álcool, proibido na via pública. "A polícia não deixará de promover os autos". Até ao momento, na área metropolitana, já foram registados 15 mil autos neste sentido, durante a pandemia.

"As pessoas não devem sair de casa e deslocar-se para estas zonas, especialmente as do coração da cidade, porque vai haver fortes restrições a partir das 19h00 de dia 12 [sábado] e até às 2h00 ou 3h00 da manhã de dia 13, domingo. A polícia vai colocar grades a fazer esse condicionamento e essas limitações, sempre com uma lógica proporcional, de acordo com a dinâmica e mobilidade das pessoas", foi explicado.

Todavia, a cidade começa já a ver um maior controlo esta quarta-feira. “Todo o nosso esforço vai iniciar-se amanhã, já com grandes operações de visibilidade, em particular com controlo rodoviário”, informou o responsável da PSP, acrescentando que também haverá fiscalização preventiva dos estabelecimentos, para assegurar o cumprimento de horários de encerramento e da lotação de pessoas no interior e nas esplanadas.

Durante esta operação, a PSP terá disponíveis “todas as valências e fez, inclusivamente, um aumento do grau de prontidão para poder estar em maior número nas ruas”, tendo também solicitado a colaboração da Unidade Especial de Polícia, com o Corpo de Intervenção e com o Grupo Operacional Cinotécnico.

Durante os Santos Populares, os restaurantes estarão a funcionar até às 22h30, com meia hora de tolerância para as pessoas poderem abandonar os estabelecimentos e regressar a casa, pelo que "sempre que a polícia encontrar zonas de grande afluência e de ajuntamentos que violem as regras", a PSP vai "de forma reativa e preventiva", condicionar esses acessos com grades ou fitas. A título de exemplo, foram indicados os bairros de Alfama, Madragoa e Bairro Alto como tendo possíveis acessos condicionados em caso de muita afluência, com exceção para as pessoas que são residentes.

Tal como nos anos pré-pandemia, a Polícia Municipal vai "fazer a limitação dos miradouros", já que são locais de grande afluência. "Neste momento, o que se exige é que todos cumpramos as regras e temos de fazer este grande esforço individual, sabendo que isto é uma grande contrariedade à vida social — mas neste momento vivemos todos o maior desafio das nossas vidas, que é inverter o quadro pandémico para rapidamente retomar a vida social que todos pretendemos", foi alertado.

Alertando que este não é um esforço apenas das autoridades, a PSP frisou que cabe a cada pessoa respeitar as regras em vigor, deixando ainda uma palavra de agradecimento a todos os cidadãos que "têm ligado para a polícia para fazer denúncias de vários locais onde existe consumo de bebidas alcoólicas e concentração de pessoas em violação das regras de etiqueta sanitária, mais concretamente a falta de distanciamento e a ausência de máscara".

(Notícia atualizada às 17h47)

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.