“Quem ganha com o comércio subterrâneo de canábis e da exploração sexual? Ganham os proxenetas e os traficantes. Ganham os fortes, perdem os fracos”, declarou Miguel Costa Matos perante os delegados socialistas presentes no 23º Congresso Nacional do PS, Portimão Arena.

Miguel Costa Matos considerou que a legalização do consumo de canábis e a regulamentação da prostituição são questões de direitos, liberdades e garantias.

No que respeita à prostituição, o líder da JS considerou essencial a proteção dos trabalhadores do sexo, prevenindo fenómenos como a violência sexual e a criminalidade. Em matéria de canábis, apontou casos em que a adulteração do produto com consequências graves no plano da saúde.

“Sei que são propostas irreverentes, mas não podemos ficar indiferentes”, declarou o líder dos jovens socialistas.

Perante o Congresso, Miguel Costa Matos apresentou de forma resumida os objetivos de outras moções setoriais apresentadas pela JS, a começar pela regionalização.

“Ou referendo ou revisão constitucional. Não podemos esperar até que haja outro Presidente da República no Palácio de Belém”, afirmou.

Miguel Costa Matos falou ainda sobre o caráter essencial de Portugal proceder à antecipação das metas de neutralidade carbónica e considerou “inaceitável” a situação dos jovens perante o mercado de trabalho.

As moções setoriais que foram apresentadas neste Congresso apenas serão discutidas e votadas numa das próximas reuniões da Comissão Nacional que hoje será eleita pelos delegados.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.