"Era o que faltava que, num congresso, não pudéssemos almoçar! Agora, não vou dizer que estivemos a falar de futebol. Não estivemos", sublinhou o candidato derrotado por Rui Rio na segunda volta das diretas do PSD, ao chegar ao Centro Cultural de Viana do Castelo, onde decorrer o 38.º Congresso Nacional do PSD.

Montenegro precisou que foi um almoço com um "conjunto de pessoas que têm cargos partidários", a maioria dos quais esteve ligada à sua candidatura à liderança do partido.

O ex-líder da bancada social-democrata recusou "interpretações malévolas" relativamente à finalidade do almoço, quando confrontado com a presença de "inimigos" da atual direção de Rui Rio.

"Eu não tenho adversários cá dentro... estou-me nas tintas para esse tipo de interpretações(...) estou de consciência tranquila relativamente àquilo que é a nossa contribuição para o engrandecimento do trabalho político do PSD", frisou.

Montenegro disse que não apresentará qualquer lista ao Conselho Nacional do partido - o órgão máximo entre congressos -, revelando que votará na lista apresentada pelo militante Paulo Cunha.

Apesar da derrota contra Rui Rio, Montenegro avisou ainda que "o PSD não é propriedade de ninguém" e recusou-se a abordar uma possível recandidatura nas eleições direitas daqui a dois anos.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.