A informação foi transmitida por Licínio Santos no decorrer de uma audição parlamentar, respondendo aos deputados da Comissão Especializada Permanente de Saúde e Assuntos Sociais da Assembleia Legislativa da Madeira.

A audição foi requerida pelo grupo parlamentar do PS/Madeira, visando “esclarecimentos relativos à capacidade de intervenção da Região Autónoma sobre os comportamentos aditivos”.

De acordo com a informação distribuída pelo parlamento madeirense, Licínio Santos afirmou que “os produtos mais consumidos na região são os canabinoides sintéticos”, os quais têm um “efeito mais intenso” e causam “quadros psicóticos tipo esquizofrenia”.

Também destacou os casos dos psicoestimulantes, que em “pelo menos entre 25% a 35% dos casos provocam psicoses gravíssimas, duradouras no tempo e que é difícil reverte-se”.

“Até hoje, os casos que tenho tido têm-se mantido”, declarou o especialista.

Licínio Santo defendeu ser necessário reabrir um centro de dia para “poder capacitar e dar resposta a esses doentes”, que funcionaria “como uma espécie de hospital de dia” para os utentes que precisam de reintegração e de acompanhamento.

Nesta comissão foi divulgado que os dados recolhidos indicam que, na Madeira, “existam cerca de mil pessoas dependentes da droga”.

O diretor referiu ainda que esta unidade não tem presentemente “capacidade de internamento devido ao número excessivo de casos”.

“Na altura em que foi construída era suficiente porque as substâncias eram outras, mas a realidade mudou e será uma necessidade a pensar num futuro próximo para podermos dar resposta” aos doentes, mencionou.

O responsável indicou que esta unidade “tem atualmente cerca de 300 utentes”.

Antes, esta comissão também esteve reunida e enviou três diplomas para plenário da Assembleia Legislativa Regional, sendo um uma proposta de criação de um complemento de pensão na região, da autoria do PCP.

O projeto de decreto legislativo regional visa a criação de um complemento de 65 euros que abranja “todos aqueles que recebem pensões e reformas com valores inferiores ao valor do Salário Mínimo praticado na região e que aufiram um rendimento anual inferior a 9.100 euros”, sendo de 100 euros para quem receba 6.500 euros, uma medida a ser suportada pelo Orçamento Regional.

Os deputados desta comissão aprovaram, também por unanimidade, o envio para plenário do projeto de resolução que recomenda a “caracterização das pessoas idosas na Madeira”, proposto pelo PS.

Para plenário foi ainda remetido outro projeto de resolução, do JPP, que sugere ao executivo madeirense que “cumpra o complemento social de pensão aos pensionistas e reformados", tal como anunciado, considerando que, "na atual conjuntura, são vários os idosos que assumem despesas do agregado familiar mais alargado”.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.