Segundo números divulgados hoje pelo Ministério da Saúde, os últimos contágios levam para 4.069.162 o número de infetados desde o início da pandemia, havendo agora um total de 81.084 óbitos com a doença.

O nível relativo de contágios teve uma subida de 32 unidades, tendo a incidência acumulada passado dos 469 (quarta-feira) para 501 casos (hoje) diagnosticados por cada 100.000 habitantes nas últimas duas semanas.

As comunidades autónomas espanholas com os níveis mais elevados são as da Catalunha (1.108), Castela e Leão (826), Navarra (779), Aragão (588), Astúrias (também 563) e Cantábria (559).

Entre os jovens de 20 a 29 anos a incidência acumulada é de 1.581 pessoas infetadas por cada 100.000 habitantes, nos últimos 14 dias, uma subida em relação aos 1.509 do dia anterior.

O segundo grupo mais atingido é o dos jovens de idades entre 12 e 19 anos, faixa etária em que se registam 1.312 casos por cada 100.000 pessoas nos últimos 14 dias (1.252).

Nas últimas 24 horas, deram entrada nos hospitais de todo o país 838 pessoas com a doença, havendo 4.705 pessoas hospitalizadas, o que corresponde a 3,9% das camas, das quais 838 pacientes estão em unidades de cuidados intensivos, 9,18% das camas desses serviços.

De acordo com os dados oficiais, há 22,9 milhões de pessoas completamente vacinadas contra a covid-19 (48,4% da população total), e 28,8 milhões têm pelo menos uma das doses (60,6%), em cerca de 47,4 milhões de habitantes que tem o país.

A Espanha prestou hoje em Madrid uma homenagem solene às vítimas da covid-19 e ao pessoal médico, numa altura em que enfrenta um aumento acentuado de novos casos, apesar do progresso da campanha de vacinação.

A cerimónia que se realizou esta manhã foi presidida pelo Rei Felipe VI e teve lugar em frente ao palácio real em Madrid, na presença da família real, membros do governo, famílias das vítimas e representantes do setor da saúde.

Este foi o segundo ato institucional deste tipo, depois de uma primeira homenagem ter sido realizada em julho de 2020.

A pandemia de covid-19 provocou pelo menos 4.061.908 mortos em todo o mundo, entre mais de 188,3 milhões de casos de infeção pelo novo coronavírus, segundo o balanço mais recente da agência France-Presse.

A doença respiratória é provocada pelo coronavírus SARS-CoV-2, detetado no final de 2019 em Wuhan, cidade do centro da China, e atualmente com variantes identificadas em países como o Reino Unido, Índia, África do Sul, Brasil e Peru.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.