Giuseppe Conte foi indigitado na quinta-feira pelo Presidente de Itália, Sergio Mattarella, para formar um Governo com o apoio parlamentar maioritário do Movimento Cinco Estrelas (antissistema, M5S) e do Partido Democrático (centro-esquerda, PD), depois de ter dissolvido o executivo também de coligação, após divergências com o líder do Partido Liga (de extrema-direita), Matteo Salvini (seu ministro do Interior), após 14 meses de governação.

“No início da próxima semana, não segunda-feira, mas terça-feira ou quarta-feira, o mais tardar, estarei em condições de concluir” negociações entre o M5S e o PD, disse Conte, numa videoconferência ao jornal diário Il Fatto Quotidiano.

Se cumprir esta intenção, Conte e a sua nova equipa governamental deverá prestar juramento na quinta-feira, antes de comparecer perante o Parlamento para um voto de confiança, na sexta-feira.

Conte disse existir um bom ambiente de trabalho entre o PD e o M5S (depois de terem sido partido rivais e muito antagónicos) e que está a preparar uma boa equipa de ministros, que assegurará o “necessário desenvolvimento de Itália”.

Conte esclareceu que não é militante do M5S (apesar da proximidade política a este movimento) e insistiu na ideia de que será um elemento neutral entre os dois partidos da futura coligação.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.