"Através de impressões digitais, os investigadores identificaram três homens e uma mulher que estavam na aeronave", incluindo o ex-jogador do Los Angeles Lakers e o piloto do helicóptero aeronave, Ara Zobayan. Os outros corpos identificados são de Altobelli e Sarah Chester.

"Os investigadores estão ainda a trabalhar na identificação das cinco  restantes vítimas", incluindo a filha de Bryant, Gianna, de 13 anos.

As autoridades recuperaram entre domingo e segunda-feira os nove corpos do local do acidente, uma intrincada área montanhosa em Calabasas, a sudoeste de Los Angeles.

O helicóptero Sikorsky S-76 caiu na manhã de domingo e levava Bryant do condado de Orange, onde morava, até à sua academia desportiva Mamba, em Thousand Oaks, onde a sua filha disputaria uma partida de basquetebol.

A notícia da sua morte provocou grande consternação no mundo inteiro, a começar pelos moradores de Los Angeles que o viram jogar durante 20 anos.

Numa praça localizada na frente ao Staples Center, estádio dos LA Lakers, foram erguidos vários altares improvisados em homenagem a Kobe Bryant, com balões, ténis, bonés, flores e velas.

"A velocidade da queda era superior a 600 metros por minuto"

O Conselho Nacional de Segurança no Transporte (NTSB), que investiga acidentes aéreos envolvendo aeroaves civis, divulgou também ontem um vídeo onde é possível ver os destroços e as cinzas no local da queda do helicóptero, que pertencia ao ex-jogador.

"A velocidade da queda era superior a 600 metros por minuto", disse Jennifer Homendy, membro da equipa do NTSB designada para o caso, em conferência de imprensa  "Foi uma descida bastante acentuada em alta velocidade", acrescentou.

O NTSB pretende divulgar um relatório preliminar do caso em dez dias e um final entre 12 e 18 meses.

A aeronave não contava com um dispositivo de alerta de proximidade de solo (TAS), que não era necessário, embora o NTSB recomendasse às autoridades federais esse exigência.

O helicóptero também não possuía uma caixa negra, porque esse equipamento não era exigido.

Os investigadores encontraram um iPad, possivelmente do piloto, muito experiente com mais de 8.000 horas de voo, que será analisado.

O clima continua a ser uma parte desconhecida e crucial da investigação. A neblina era suficientemente intensa no domingo de manhã, ao ponto de a polícia deixar os seus próprios helicópteros em terra, tendo os usado apenas à tarde.

"Temos um meteorologista na equipa que está a analisar o clima e a tomada de decisões para voar naquele horário", disse Homendy.

LeBron James: "Estou aqui sentado a tentar escrever algo neste post, mas cada vez que tento, começo a chorar de novo"

Os Lakers deveriam ter regressado ao Staples Center ontem para enfrentar os LA Clippers, mas a NBA decidiu adiar o jogo para uma data ainda a ser determinada "por respeito aos Lakers, profundamente abalados pela trágica perda de uma lenda da organização".

O seu próximo jogo em casa está marcada para sexta-feira contra os Portland Trail Blazers. No site de revenda de ingressos StubHub, a entrada mais barata era de 768 dólares e a mais cara 10.000 dólares.

LeBron James, atualmente o nome mais forte da NBA, afirmou que estava "devastado" com a morte de Bryant numa publicação no Instagram, na qual também prometeu continuar o legado do seu amigo nos Lakers.

"Estou aqui sentado a tentar escrever algo neste post, mas cada vez que tento, começo a chorar de novo, ao pensar em ti, na minha sobrinha Gigi e na amizade/laço/irmandade que nós tínhamos", escreveu.

Kevin Durant: "Como competidor, odiava-se jogar contra ele. Como pessoa, adorava-se estar perto dele"

Também Kevin Durant, que atua no Brooklyn Nets, disse que "é difícil seguir em frente agora", emocionado com a morte trágica de Bryant. "Mas como comunidade do basquetebol, como mundo em geral, estamos todos de luto e mantemo-nos unidos", acrescentou.

Durant, que está fora da temporada 2019-20 da NBA devido a uma lesão, afirmou que "ainda é difícil processar isto (a morte de Kobe)". "É uma tragédia. Entristeceu tantas pessoas no mundo", disse o jogador.

Ao ser questionado sobre como prestar homenagem ao pentacampeão da NBA, Durant disse que o melhor a fazer é que "todos os jogadores joguem o melhor que puderem cada noite".

No total, Durant enfrentou Bryant 25 vezes em jogos da temporada regular e dois playoffs enquanto estava no Seattle-Oklahoma City. Bryant e Durant foram companheiros de equipa no Dream Team que conquistou a medalha de ouro nos Jogos Olímpicos de Londres-2012.

"Ter a oportunidade de competir contra Kobe e estar perto dele no espaço humano foi uma alegria", lembrou Durant. "É difícil entender tudo isto. Tendo esse tempo e esses momentos com Kobe sempre significou seguir em frente, mas acho que é muito difícil fazer isso com o tamanho do impacto que teve sobre todos nós. Como competidor, odiava-se jogar contra ele. Como pessoa, adorava-se estar perto dele", concluiu Durant.

Também o tenista sérvio Novak Djokovic disse que Kobe era seu "mentor".  "Foi um dos melhores atletas de todos os tempos. Inspirou-me e a muitas outras pessoas no mundo", afirmou com lágrimas nos olhos depois de se classificar para as semifinais do Open da Austrália.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.