A epidemia do novo coronavírus é "a maior emergência de saúde" na China desde a fundação do regime comunista em 1949, afirmou o presidente Xi Jinping neste domingo.

O surto de pneumonia viral pelo Covid-19, que já afetou pelo menos 77.000 pessoas na China, 2.400 das quais morreram, “é uma crise” e “uma enorme prova” para as autoridades chinesas, disse o presidente chinês, em declarações transmitidas pela televisão estatal, em que também reconheceu “lacunas” na resposta ao coronavírus.

"É necessário aprender com deficiências expostas" na resposta da China, acrescentou Jinping durante uma reunião oficial para coordenar a luta contra o vírus, um reconhecimento incomum num líder chinês.

Em comentários citados pelo canal estatal CCTV, o líder chinês afirmou que a epidemia "tem a transmissão mais rápida, a maior variedade de infeção e tem sido a mais difícil de prevenir e controlar".

"Esta é uma crise para nós e um grande teste", acrescentou.

Xi Jinping reconheceu que a epidemia "inevitavelmente terá um grande impacto na economia e na sociedade", mas enfatizou que os efeitos acontecerão "a curto prazo" e serão administráveis.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.