Segundo o Centro de Controlo e Prevenção de Doenças da União Africana (África CDC), o número total de recuperados nas últimas 24 horas foi de 18.783, para um total de 2.433.002.

A África Austral continua a ser a região mais afetada, com 1.343.479 infetados e 34.789 mortes. Só a África do Sul, o país mais atingido pela covid-19 no continente, regista 1.192.570 casos e 32.425 mortos.

O Norte de África é a segunda zona mais afetada pela pandemia, com 973.979 casos e 25.630 vítimas mortais.

A África Oriental contabiliza 331.558 infeções e 6.130 mortos, o mesmo número de óbitos do dia anterior, enquanto na África Ocidental o número de infeções é de 260.204 e o de mortes ascende aos 3.407, e na África Central estão contabilizados 77.344 casos e 1.507 óbitos.

O Egito, que é o segundo país africano com mais vítimas mortais, a seguir à África do Sul, regista 8.085 mortos e 147.810 infetados, seguindo-se Marrocos, com 7.685 vítimas mortais e 450.221 infetados.

Entre os seis países mais afetados estão também a Tunísia, com 5.108 mortos e 154.903 infetados, a Argélia, com 2.798 óbitos e 101.657 casos, a Etiópia, com 1.974 vítimas mortais e 127.572 infeções, e o Quénia, com 1.703 óbitos e 97.954 infetados.

Em relação aos países de língua oficial portuguesa, Angola regista 415 óbitos e 18.066 casos, seguindo-se Moçambique (181 mortos e 20.482 casos), Cabo Verde (114 mortos e 12.237 casos), Guiné Equatorial (86 mortos e 5.289 casos), Guiné-Bissau (45 mortos e 2.455 casos) e São Tomé e Príncipe (17 mortos e 1.054 casos).

O primeiro caso de covid-19 em África surgiu no Egito, em 14 de fevereiro, e a Nigéria foi o primeiro país da África subsariana a registar casos de infeção, em 28 de fevereiro.

A pandemia de covid-19 provocou pelo menos 1.899.936 mortos resultantes de mais de 88 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.