"O contacto permanente entre a companhia aérea, o Governo Regional da Madeira e o Governo da República permitiu que a rota seja retomada o mais rápido possível para poder prestar o serviço aéreo entre a Madeira e o Porto Santo, como tinha vindo a fazer até à súbita chegada da pandemia provocada pela covid-19", indica a empresa espanhola em comunicado.

A Binter esclarece que "ajustou ligeiramente" os horários por razões operacionais, sendo que o primeiro voo partirá do Aeroporto do Funchal às 07:30 e o regresso do Porto Santo será às 08:30.

A ligação da tarde sairá da Madeira às 16:55, para iniciar o regresso do Porto Santo às 17:50.

A companhia informa também que a partir de hoje os bilhetes podem ser adquiridos nas condições habituais através dos canais de venda da companhia.

No comunicado, a Binter refere que estão "recuperadas as condições necessárias para prestar o serviço", uma vez que foram feitos progressos na melhoria do contexto de saúde após a crise provocada pela covid-19.

A Madeira mantém o total acumulado de 90 infetados, dos quais 67 recuperados e 23 com infeção ativa, segundo informou na terça-feira a autoridade regional de saúde.

No início desta semana, a companhia espanhola exigiu o fim do confinamento para as tripulações e passageiros imposto nos arquipélagos da Madeira e de Canárias para retomar a ligação.

A exigência foi transmitida pela transportadora, que tem sede nas Ilhas Canárias, numa reunião mantida segunda-feira, 25 de maio, com o secretário do Estado Adjunto e das Comunicações, Alberto Souto de Miranda.

Uma nota divulgada pelo Governo da República explicava que o objetivo do encontro foi "tentar encontrar uma solução que permita ultrapassar os constrangimentos que impedem a retoma do serviço público aéreo na rota Porto Santo/Funchal/Porto Santo", suspenso desde o dia 17 de março.

"Os responsáveis da Binter apontaram como essencial para retomarem o serviço em causa que, tanto o Governo Regional da Madeira, como o Governo de Espanha, excecionem expressamente as tripulações desta companhia aérea do dever geral de confinamento imposto, tanto no arquipélago português, como do lado espanhol, a todos os passageiros e tripulantes que desembarquem no seu território", indicava a nota.

O Governo nacional assegurava estar "empenhado em criar as condições para a retoma imediata desta ligação de serviço público", pelo que contactou o executivo madeirense "no sentido de encontrar uma solução".

A situação foi, entretanto, ultrapassada, sendo que o Governo Regional da Madeira tinha já determinado o fim da quarentena obrigatória para os passageiros residentes nas duas ilhas do arquipélago que efetuem a viagem por via marítima.

Presentemente, nas viagens aéreas, o executivo madeirense decidiu que este constrangimento deixa de ser exigido se o passageiro apresentar um teste negativo à covid-19 feito 72 horas antes da chegada à Madeira, uma medida já em vigor, mas que será adotada com caráter obrigatório a partir de 01 de julho.

O Porto Santo, uma pequena ilha com cerca de 5.000 habitantes, é o destino preferencial de férias dos residentes na Madeira, chegando a atingir os mais de 20.000 visitantes nos meses de verão.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.