Desde que foi detetada a doença no país, já foram registadas 22.013 mortes e 347.398 casos confirmados de contágio pelo novo coronavírus.

Analisando dados compilados pela Universidade norte-americana Johns Hopkins constata-se que o Brasil ultrapassou a Rússia e tornou-se o segundo país com maior número de casos de covid-19 do mundo, atrás apenas dos Estados Unidos, que registou já mais de 1,6 milhões casos de infeção pelo novo coronavírus, que causa a covid-19.

Na sexta-feira, a Organização Mundial de Saúde (OMS) apontou que a América do Sul se tornou "outro epicentro" do novo cornavírus e citou o Brasil como o mais afetado.

O Ministério da Saúde brasileiro frisou que existem 182.798 casos da doença em acompanhamento e que 142.587 pessoas infetadas já estão recuperadas, adiantando ainda que permanecem em investigação 3.534 óbitos cujas causas não estão determinadas.

O estado brasileiro de São Paulo, epicentro da pandemia no país, confirmou na tarde de sábado que já registou 6.045 mortes provocadas pelo novo coronavírus e 80.558 casos de contágio.

O governador de São Paulo, João Doria, usou as redes sociais para comemorar o número de pessoas infetadas que já se recuperaram.

"Parabéns aos médicos, enfermeiros e profissionais de saúde pela dedicação e empenho na luta para salvar vidas. E parabéns também a cada um dos 15.296 pacientes pela vitória. Uma conquista da saúde e da medicina", escreveu Doria em sua conta na rede social Twitter.

No Rio de Janeiro, segundo estado com maior número de mortes provocas pela covid-19 no Brasil, a Secretaria de Saúde confirmou 3.905 óbitos e 34.533 casos da covid-19.

Hoje o governador ‘carioca', Wilson Witzel, defendeu a eficácia das medidas de isolamento social adotadas no combate à doença e informou que sem o controlo sobre a circulação de pessoas, o estado teria neste momento pelo menos 19 mil mortos, citando projeções de órgão do governo regional.

A nível global, segundo um balanço da agência de notícias AFP, a pandemia de covid-19 já provocou mais de 339 mil mortos e infetou mais de 5,2 milhões de pessoas em 196 países e territórios.

Mais de dois milhões de doentes foram considerados curados.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.