Falando em conferência de imprensa, Borisov assegurou que existem máscaras suficientes nas farmácias e drogarias do país.

“Além disso, cada um pode costurar uma máscara e, em último caso, tapar a boca e o nariz com um cachecol”, afirmou o chefe do Governo búlgaro.

A medida entra em vigor quando se celebra uma das principais festas para os cristãos ortodoxos, o domingo de ramos e a Páscoa, com a concentração de inúmeros fiéis nos templos.

As cerca de 4.000 igrejas do país mantêm-se abertas, ao contrário do que acontecerá noutros países de maioria ortodoxa da região, mas os serviços religiosos vão realizar-se ao ar livre, em frente às igrejas, com a polícia a assegurar que é respeitado o distanciamento de dois metros entre as pessoas.

A Bulgária registou até o momento 648 casos da covid-19, com 26 mortos e 62 recuperados.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já provocou a morte a mais de 100 mil pessoas e infetou mais de 1,6 milhões em 193 países e territórios.

Dos casos de infeção, mais de 335 mil são considerados curados.

Depois de surgir na China, em dezembro, o surto espalhou-se por todo o mundo, o que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar uma situação de pandemia.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.