“O Plano Municipal de Testagem de Lisboa Covid-19 vai permitir a testagem gratuita a todos os moradores da cidade de Lisboa, já a partir de amanhã, 15 de abril, deixando de estar limitado aos moradores das freguesias com mais de 120 casos por 100 mil habitantes e a cidadãos maiores de 16 anos”, avança autarquia, em comunicado.

A Câmara de Lisboa salienta na nota que “o alargamento do número de testes, efetuados de forma massiva e universal na cidade, é uma medida central de prevenção da propagação do vírus e na promoção da saúde pública”.

O município presidido por Fernando Medina recorda que iniciou um processo de testagem massiva na cidade em 31 de março, “garantindo a possibilidade de dois testes gratuitos nas farmácias de Lisboa todos os meses, nas freguesias com uma incidência covid mais elevada”, acrescentando que o programa conta hoje com mais de 90 farmácias aderentes.

“A autarquia encontra-se ainda em conversações com as associações representativas do comércio e restauração, UACS [União de Associações do Comércio e Serviços] e AHRESP [Associação da Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal], para encontrar um sistema de testagem dos profissionais destas empresas, independentemente do concelho de residência desses trabalhadores”, adianta.

A lista de farmácias aderentes ao programa pode ser consultada aqui e os testes devem ser agendados pelos munícipes telefonicamente.

Autarquia quer assegurar transporte de táxi para centros de vacinação em todas as fases

Em fevereiro, o município decidiu assegurar o transporte de táxi dos munícipes de Lisboa, com mais de 65 anos, convocados para a vacinação contra a covid-19 “desde a sua residência até ao ponto de vacinação indicado e regresso ao domicílio, transporte esse a ser garantido através da articulação com as Juntas de Freguesia e de protocolos a estabelecer com as organizações representativas do setor táxi”, é recordado na proposta.

Agora, com o reforço da capacidade de vacinação e com a abertura de novos centros de vacinação, “é importante assegurar que esta iniciativa possa ser prolongada para as fases posteriores de vacinação e, em função das necessidades verificadas, ajustada à correspondente realidade que se verifique em cada momento”, defende a Câmara no documento que vai a votos na quinta-feira.

A proposta, assinada pelo vereador Miguel Gaspar (PS), refere que as principais organizações representativas do setor do táxi na capital (Federação Portuguesa do Táxi e ANTRAL) manifestaram disponibilidade para “operacionalizar o transporte para vacinação, em articulação com a Câmara Municipal de Lisboa, os Centros de Vacinação, as Juntas de Freguesia e as Centrais que efetuam despacho de veículos de transporte em táxi licenciados pelo município de Lisboa”.

A Câmara de Lisboa delibera, assim, aprovar a atribuição de apoios financeiros, no valor global de 60 mil euros, “para garantirem o transporte em táxi de munícipes de Lisboa, no âmbito da campanha de vacinação contra a covid-19”.

Estas organizações ficam obrigadas a assegurar que “a totalidade da verba recebida é afeta exclusivamente à aquisição dos referidos serviços de transporte, sem remuneração adicional das centrais de despacho ou das organizações parceiras”.

A proposta estabelece também que, “em função das necessidades verificadas, a presente iniciativa possa ser prolongada a fases posteriores de vacinação” contemplando “reforços financeiros que se venham a revelar necessários”.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.