A entidade milanesa, membro da Associação de Institutos Económicos Europeus, reviu assim as estimativas realizadas em 29 de fevereiro passado, quando afirmou que a economia recuaria 1% e 3% no primeiro e segundo trimestres, respetivamente.

Itália é atualmente o país com maior número de mortos com o novo coronavírus em todo o mundo, a doença já provocou 3.400 mortos e mais de 41.000 contagiados desde que foi detetado o surto no país.

O instituto explica numa nota que o Produto Interno Bruto (PIB) italiano poderia retroceder até 3% no primeiro trimestre e 5% no segundo, apesar de apontar para uma possível recuperação a partir do terceiro trimestre.

Contudo, o REF Ricerche sublinha que esta recuperação é incerta porque estará relacionada com a evolução da pandemia e as políticas económicas adotadas para limitar os efeitos negativos nas economias de todo o mundo.

A economia italiana está numa situação delicada, registou um recuo de 0,3% no quarto trimestre de 2019 e cresceu apenas 0,3% no conjunto do ano passado, o pior dado desde 2014, e a propagação do coronavírus ameaça o país de entrada em recessão.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.