“Os resultados indicam uma tendência decrescente de novos casos ao nível nacional em todas a regiões do país”, refere o INSA no relatório de situação sobre a curva epidémica da infeção pelo novo coronavírus.

A 11 de janeiro, o Rt médio situava-se nos 0,77, um valor que o primeiro-ministro, António Costa, considerou na altura ser “o mais baixo que o país já teve desde o início da pandemia”, na primavera de 2020.

Segundo os dados do INSA agora divulgados, todas as regiões do país encontram-se com um Rt – o número médio de casos secundários que resultam de um caso infetado pelo vírus - abaixo de 1.

As estimativas epidemiológicas apontam para um Rt de 0,64 nas regiões Norte, Centro e Alentejo, de 0,66 na região Lisboa e Vale do Tejo, de 0,65 na região do Algarve, de 0,63 na região autónoma dos Açores e de 0,88 na região autónoma da Madeira.

Segundo o INSA, a partir de 18 de janeiro verificou-se uma redução acentuada do Rt, mas, a partir de 11 de fevereiro, registou-se um ligeiro aumento, o que sugere “um desacelerar da tendência de decrescimento da incidência de SARS-CoV-2” nesse período.

“Desde o início de agosto até meio de novembro, o Rt esteve acima de 1 durante 107 dias, revelando uma fase de crescimento sustentada. Desde meio de novembro e até 25 de dezembro, o Rt manteve-se abaixo de 1, representando uma fase de decréscimo sustentada da incidência de infeção por SARS-CoV-2”, refere o INSA.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.