A República Islâmica, que anunciou os primeiros casos de contaminação em fevereiro, é o país mais afetado pela pandemia no Médio Oriente.

“Que cada um cumpra a sua função da melhor maneira possível para quebrar a cadeia de transmissão a curto prazo e salvar o país”, disse Ali Khamenei durante uma reunião com os deputados.

Este foi o primeiro discurso do líder supremo iraniano perante os deputados que assumiram funções no parlamento do país no final de maio.

Segundo a sua página oficial, Khamenei saudou os profissionais de saúde pelos seus “sacrifícios” e criticou “certas pessoas que não usam uma coisa tão simples como uma máscara” para travar a propagação do vírus, assumindo ter “vergonha” de tais comportamentos.

Estes alertas do líder iraniano surgem num momento em que os casos de infeção estão, desde o início de maio, a aumentar.

Na quinta-feira, as autoridades iranianas anunciaram um novo máximo diário, ao terem registado 221 novos óbitos num período de 24 horas.

Segundos os dados oficiais, conhecidos hoje, o país registou 194 mortos e 2.186 infetados nas últimas 24 horas.

O Irão contabiliza 257.303 casos de infeção e 12.829 mortos, revelou hoje Sima Sadat Lari, porta-voz do Ministério da Saúde, durante uma entrevista televisiva.

Em termos mundiais, o Irão é o nono país com mais mortes relacionadas com o novo coronavírus.

Pandemia fez mais de 20 mil mortes no Médio Oriente, mais de metade foram no Irão

A pandemia do novo coronavírus fez, até à data, mais de 20 mil mortes no Médio Oriente, das quais mais de metade no Irão, segundo um balanço realizado pela agência France Presse (AFP) a partir de dados oficiais.

Com um total de 20.005 mortes (entre 907.736 casos diagnosticados), o Médio Oriente continua a ser, no entanto, uma das regiões menos afetadas pela atual crise sanitária, que já matou pelo menos 565.166 pessoas em todo o mundo.

O Iraque (com 3.055 mortes, em 75.194 casos), a Arábia Saudita (2.181 mortes, em 229.480 casos), o Iémen (464 mortes, em 1.380 casos) e o Kuwait (386 mortes, em 54.058 casos) são os outros países da região do Médio Oriente mais afetados pela covid-19.

A média na região é de cerca de 43 mortes por cada um milhão de habitantes, segundo uma contagem da AFP, enquanto a média mundial é de cerca de 70 mortes por cada um milhão de habitantes.

As mortes no Médio Oriente representam, atualmente, cerca de 3,5% das mortes por covid-19 em todo o mundo, muito atrás da Europa (que representa mais de um terço), dos Estados Unidos e Canadá (25%) e da América Latina e Caraíbas (25%).

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.