O Museu do Louvre, em Paris, vai ficar fechado “até nova ordem” devido à pandemia de Covid-19, causada pelo novo coronavírus, anunciou hoje a administração.

"Seguindo as diretivas do governo, o museu mais visitado do mundo fecha na sexta-feira, 13 de março, às 18:00 (17:00 GMT) até nova ordem”, disse a administração do museu em comunicado, acrescentando que duas exposições - "Albrecht Altdorfer" e "De Donatello a Michelangelo " - foram adiadas.

O Museu do Louvre já tinha encerrado no dia 1 de março, porque os trabalhadores invocaram o direito a interromper o trabalho devido à epidemia causada pelo novo coronavírus.

Esta decisão dos trabalhadores seguiu-se à decisão das autoridades francesas de cancelar todos os eventos públicos com mais de 5.000 pessoas num recinto fechado.

Também o Palácio de Versalhes fechará por "tempo indeterminado", mas deixará os eus jardins e o parque abertos.

O ministério da Cultura francês pediu esta sexta-feira a todas as estruturas sob a sua supervisão, incluindo museus e bibliotecas, para que limitassem a suas atividades ou fechassem ao público.

A Torre Eiffel acatou o pedido anunciando que encerrará hoje pelas 21h00. O organismo que faz a gestão do monumento disse que espera "poder reabrir muito em breve, quando a situação de saúde permitir".

França é o terceiro país da Europa, a seguir a Itália e Espanha, com mais casos confirmados de Covid-19, com mais de 2.870 infetados e 61 mortos.

Este novo coronavírus foi detetado em dezembro, na China, e já provocou mais de 5.000 mortos em todo o mundo, levando a Organização Mundial de Saúde (OMS) a declarar a doença como pandemia.

O número de infetados ultrapassou as 134 mil pessoas, com casos registados em mais de 120 países e territórios, incluindo Portugal, que tem 112 casos confirmados.

Face ao avanço da pandemia, vários países têm adotado medidas excecionais, incluindo o regime de quarentena inicialmente decretado pela China na zona do surto.

A Itália é o caso mais grave depois da China, com mais de 15.000 infetados e pelo menos 1.016 mortos, o que levou o Governo a decretar a quarentena em todo o país.

[Notícia atualizada às 18h03]

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.