A monarca elogiou a forma como o Reino Unido respondeu à crise sanitária atual, que encheu as ruas “de amor e carinho”. O país é o mais afetado da Europa, com mais de trinta mil mortos.

Isabel II relembrou os festejos com a vitória na segunda grande guerra, que marcaram uma era de lutas no continente europeu. Lembrando o passado, a monarca de 94 anos sublinhou as qualidades da geração atual.

Falou do esforço das equipas do serviço nacional de saúde britânico (NHS, na sigla inglesa), dos trabalhadores essenciais e das comunidades que ajudam os mais vulneráveis — tudo gestos que refletem uma nação que “aqueles bravos soldados, marinheiros e pilotos iriam reconhecer e admirar”, afirmou.

A rainha pegou na mensagem de então — “Nunca desistam, nunca desesperem”  — que hoje se torna novamente atual.

A mensagem pré-gravada foi emitida no Reino Unido às 21:00 (mesma hora em Lisboa), a hora a que o pai de Isabel II, Jorge VI, falou para a rádio, em 1945.

O Governo do Reino Unido indicou hoje que o número de mortes devido à pandemia do novo coronavírus subiu para 31.241, após contabilizar mais 626 óbitos nas últimas 24 horas. O país tem já mais de 211 mil casos confirmados de infeção pelo SARS-CoV-2, responsável pela covid-19.

Numa conferência de imprensa, o ministro do Ambiente britânico, George Eustice, precisou que o total de vítimas mortais corresponde a casos de covid-19 confirmados laboratorialmente.

O Instituto Nacional de Estatísticas britânico, porém, indica que o número total de óbitos associados ao novo coronavírus pode superar os 36.000 no Reino Unido, que apenas se situa atrás dos Estados Unidos.

Mais tarde, o Serviço Público de Saúde britânico anunciou a morte de uma bebé de apenas seis semanas.

O recém-nascido, que sofria de problemas de saúde antes de ser contaminado com o novo coronavírus, é considerado como a vítima mais jovem de covid-19 no país.

Os novos dados são conhecidos dois dias antes de o primeiro-ministro conservador britânico, Boris Johnson, anunciar a primeira fase do desconfinamento, que se prevê muito ligeira, imposto a 23 de março último.

Boris Johnson, contudo, já avisou que as autoridades britânicas vão atuar “com cautela” para evitar uma segunda vaga da pandemia.

Nesse sentido, o ministro do Ambiente britânico apelou à população para “respeitar as restrições” de deslocação e a manter-se em casa durante o fim de semana, apesar da previsão de bom tempo para os próximos três dias.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.