Espanha

Oito pessoas morreram em Espanha nas últimas 24 horas com a covid-19, um aumento em relação às três de quinta-feira, e há 191 novos casos de pessoas infetadas, anunciou hoje o Ministério da Saúde espanhol.

Os serviços sanitários espanhóis atualizaram para 28.338 o número de óbitos com a pandemia, mais oito do que o total de quinta-feira, havendo 11 óbitos notificados na última semana, dos quais sete na comunidade autónoma de Castela e Leão.

Por outro lado, o total de pessoas infetadas desde o início da pandemia é de 247.905, dos quais 191 nas últimas 24 horas.

A comunidade autónoma de Aragão, onde uma série de surtos levou à reintrodução de medidas de confinamento em vários concelhos, é a região com mais novos casos (72), seguida de Madrid (41) e da Catalunha (36).

O relatório diário com a atualização da situação epidemiológica no país informa que já passaram pelos hospitais 125.030 pessoas com covid-19, tendo dado entrada na última semana 147.

Reino Unido

O Reino Unido registou 186 mortes nas últimas 24 horas, mais 37 do que na véspera, elevando para 43.414 o total de óbitos desde o início da pandemia covid-19, anunciou hoje o Ministério da Saúde britânico.

Dos 165.665 testes realizados, 1.006 foram positivos, aumentando para 309.360 o número de casos de contágio desde o início da pandemia.

Na quinta-feira, tinham sido registadas 149 mortes e de 1.118 novos infetados.

Um estudo da universidade de Oxford citado hoje pelo jornal The Times refere que a taxa de mortalidade de pacientes do Covid-19 em hospitais ingleses caiu para um quarto do nível registado no pico da pandemia, o que os cientistas atribuem a melhores técnicas no tratamento do vírus.

Entretanto, dados publicados pelo instituto de estatísticas ONS confirmam que a maior parte das vítimas eram profissionais de serviços considerados críticos, como lares de idosos, motoristas de autocarro e empregados de atendimento ao público, com destaque para os homens.

Itália

As autoridades italianas confirmaram hoje 30 mortes associadas ao novo coronavírus e 259 novos casos de infeção nas últimas 24 horas, o que representou um ligeiro decréscimo face ao número de novos contágios registado na quinta-feira.

Em termos totais, e desde o início da crise da doença da covid-19 no país em 21 de fevereiro, Itália contabiliza 34.708 vítimas mortais.

Com a identificação destes 259 novos contágios em relação a quinta-feira, o país totaliza, até à data, 239.961 pessoas que estão ou estiveram infetadas com o novo coronavírus desde fevereiro.

Os casos de infeção ativos neste momento no país são 187.615, com uma diminuição de 665 doentes em comparação ao dia anterior.

Uma grande maioria dos casos ativos são pessoas que estão isoladas em casa com sintomas ligeiros ou assintomáticas.

A região da Lombardia (norte de Itália) continua a ser a zona mais afetada do país, acumulando 93.587 casos no número total de infetados e 11.640 mortes.

Nas últimas 24 horas, esta região específica contabilizou 156 novas infeções e 16 óbitos associadas à doença covid-19.

O conselheiro regional de saúde, Giulio Gallera, realçou, porém, que o número de pacientes hospitalizados na Lombardia verificou um decréscimo assinalável, menos 120 doentes em comparação a quinta-feira.

No total, a região conta com 501 doentes de covid-19 internados em unidades hospitalares.

As autoridades italianas informaram ainda que estão a acompanhar os mais recentes surtos identificados naquele país.

O ministro da Saúde, Roberto Speranza, avisou o país, que está quase todo em fase de desconfinamento, que estes “pequenos surtos mostram que a batalha ainda não foi ganha”.

Um dos maiores focos identificados é num complexo de edifícios de habitação social em Mondragone (sul), perto da cidade de Nápoles, onde 49 pessoas foram diagnosticadas com a doença covid-19, a maioria trabalhadores búlgaros.

O local foi isolado pelo exército porque muitas das pessoas não estavam a cumprir o confinamento e continuavam a sair para a rua.

Também foi identificado um foco de infeção num armazém de uma empresa de entrega de encomendas em Bolonha (norte), onde pelo menos 27 pessoas contraíram o novo coronavírus.

Um dos países europeus mais afetados pela atual pandemia, a Itália iniciou, em maio, um plano faseado de desconfinamento da população e uma retoma gradual da atividade económica, após mais de dois meses de confinamento.

França

A França registou 26 mortes associadas ao novo coronavírus nas últimas 24 horas, elevando o número total de óbitos verificados naquele país desde o início da pandemia para 29.778, indicou hoje a Direção Geral da Saúde francesa.

Deste número global de óbitos, 19.290 foram registados em hospitais.

Os dados relativos às mortes em lares e em outras unidades residenciais seniores serão atualizados no próximo dia 30 de junho (terça-feira), informou a Direção-geral da Saúde francesa.

Desde o início da pandemia da doença covid-19, 104.300 pessoas foram admitidas em centros hospitalares, incluindo 18.351 doentes que estiveram internados em unidades de cuidados intensivos. Um total de 75.351 pacientes já teve alta e regressou às respetivas casas.

A Direção-geral da Saúde francesa destacou hoje que o número de doentes em estado grave continua a descer.

Neste momento, 8.886 infetados com o novo coronavírus continuam hospitalizados, dos quais 87 foram admitidos nas últimas 24 horas.

Entre os internados, 634 estão nos cuidados intensivos, menos 17 doentes em comparação ao dia anterior.

As autoridades francesas estão a investigar e a acompanhar a evolução de 75 possíveis novos focos da doença covid-19 no país, após o surgimento de um novo foco nas últimas 24 horas.

[Notícia atualizada às 19h59]

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.