grupo de peritos que trabalha com a Direção-Geral da Saúde (DGS) na elaboração das projeções sobre a evolução da pandemia deixou o alerta: o número de infetados deverá começar a subir significativamente três semanas após o início do próximo ano letivo.

Citado pelo semanário Expresso deste sábado, Manuel Carmo Gomes, professor de epidemiologia na Universidade de Lisboa e um dos principais colaboradores da equipa, explica que “o perigo vai começar em outubro e até fevereiro vamos estar sempre debaixo de grande risco". O "aumento poderá ser exponencial, sobretudo nas zonas com maior densidade populacional, nomeadamente Lisboa e Porto", acrescenta em referência a novos casos.

De acordo com a publicação, o Ministério da Saúde está já a ultimar o “plano de ataque” para o outono/inverno. Ao Expresso, o gabinete de Marta Temido anuncia algumas das medidas, como a antecipação já para o início de outubro da vacinação contra a gripe sazonal, com prioridade para os profissionais de saúde e funcionários de lares. Está ainda a ser equacionado o seu alargamento, gratuito, a grávidas e novos grupos de risco.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.