Rui Rio esteve esta tarde reunido com o primeiro-ministro, António Costa, no âmbito das reuniões que o Governo manteve com os partidos com assento parlamentar a propósito das medidas a adotar para travar a evolução da pandemia de covid-19.

“Se as medidas que forem determinadas, com prudência, se vierem a verificar que têm de ser reforçadas daqui por 30 dias, imagine, a minha posição é sempre a mesma desde o primeiro dia: eu estou sempre do lado da solução, não estou do lado do problema”, assegurou, em declarações aos jornalistas.

De acordo com o líder da oposição, caso se verifique “que Portugal precisa de alguma coisa adicional, o PSD está disponível para defender a saúde pública e para não criar entraves à defesa da saúde pública”.

“Eu penso que não será necessário, vamos ver também quais são as medidas, mas se forem necessárias, de mim não esperam outra coisa que não seja: estarei seguramente do lado daquilo que for o interesse do país, neste caso da saúde pública”, comprometeu-se.

Rio tinha defendido no início da intervenção que é preciso fazer tudo para proteger a população da evolução da pandemia sem voltar a situações de confinamento ou fecho da economia, rejeitando “medidas mais pesadas” neste momento.

O primeiro-ministro terminou hoje a ronda aos partidos com assento parlamentar sobre a situação epidemiológica, prevendo-se que, na quinta-feira, anuncie novas medidas para travar o aumento de contágios de covid-19.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.