Segundo os dados da DGS, cinco concelhos — Alvito, Avis, Corvo, Gavião e Góis — registam uma incidência cumulativa a 14 dias entre as 480 e as 959,9 infeções por 100 mil habitantes, o segundo nível dos sete definidos pelo Centro Europeu de Prevenção e Controlo de Doenças para este indicador.

No patamar abaixo, com uma incidência entre os 240 e os 479,9 casos de infeção, encontram-se os concelhos da Calheta, de Santa Cruz da Graciosa e das Velas, todos nos Açores.

Todos os restantes estão no nível máximo — acima dos 960 casos por 100 mil habitantes -, destacando-se os concelhos da região autónoma da Madeira de Câmara de Lobos (8.520), Funchal (7.758) e Porto Moniz (6.445).

Em sentido contrário, com a incidência cumulativa mais baixa do país, está o concelho de Velas, com 276 casos por 100 mil habitantes a 14 dias.

Em relação à última sexta-feira, o número de concelhos que passou para o patamar mais elevado de incidência subiu dos 282 para os atuais 300.

A covid-19 provocou 5.519.380 mortes em todo o mundo desde o início da pandemia, segundo o mais recente balanço da agência France-Presse.

Em Portugal, desde março de 2020, morreram 19.237 pessoas e foram contabilizados 1.814.567 casos de infeção, segundo a última atualização da Direção-Geral da Saúde.

A doença respiratória é provocada pelo coronavírus SARS-CoV-2, detetado no final de 2019 em Wuhan, cidade do centro da China.

Uma nova variante, a Ómicron, considerada preocupante e muito contagiosa pela Organização Mundial da Saúde (OMS), foi detetada na África Austral, mas desde que as autoridades sanitárias sul-africanas deram o alerta, em novembro, foram notificadas infeções em pelo menos 110 países, sendo dominante em Portugal.

PC // JMR

Lusa/fim

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.