O suíco Axel Lehamn, antigo alto executivo do banco USB encontra-se no Credit Suisse desde outubro do ano passado e assume o cargo de presidente, informou a instituição.

“Lehmann é o ideal para conduzir a transformação estratégica do banco”, disse hoje o vice-presidente do Credit Suisse, Severin Schwan, citado pela agência Efe, acrescentando que respeita a decisão de Horta Osório.

De acordo com a Associated Presse, o português Horta Osório anunciou a demissão poucos minutos depois da meia-noite de hoje tratando-se do mais recente revés no banco suíço que enfrentou uma série de problemas recentes, incluindo maus investimentos em fundos financeiros (hedge funds) e um escândalo interno de espionagem.

“Lamento que algumas das minhas atitudes pessoais tenham causado dificuldades ao banco comprometendo a minha capacidade de o representar interna e externamente”, afirma Horta Osório, 57 anos, num comunicado divulgado pelo Credit Suisse, sem especificar.

“Por isso acredito que minha demissão é do interesse do banco e dos acionistas neste momento crucial”, acrescenta Horta Osório na mesma nota.

António Horta Osório tinha assumido o cargo há oito meses.

Hoje, a imprensa suíça informa que Horta Osório, antigo presidente do Conselho de Administração do Lloyds Banking Group, no Reino Unido, violou as regras de quarentena contra o covid-19.

De acordo com as mesmas notícias Horta Osório deslocou-se ao Reino Unido em dezembro e no verão passado onde assistiu a um torneio de ténis em Wimbledon.

No mês passado, o portal de notícias finewes.com citava fontes “conhecedoras da situação” indicavam que o português estava a ser investigado por alegadamente ter quebrado as regras da quarentena contra a crise sanitária.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.