Uma estátua de Maria Callas foi colocada à frente da antiga acrópole de Atenas, como homenagem àquela que é considerada a maior diva da Grécia, que ali fez a sua estreia no teatro romano. Contudo, as críticas não estão a ser positivas, conta o The Guardian.

Coberta de dourado, a figura tem cerca de 1,8o m de altura e foi pensada por fãs que consideram que a soprano tem vindo a ser esquecida no país, 44 anos após a sua morte. Mas o resultado não foi o esperado: há quem diga que a estátua é imprópria e que não tem qualquer semelhança com "La Divina" — havendo até quem refira que parece "Ghandi de saltos altos" ou uma estatueta dos Óscares,  mas sem o brilho de Hollywood.

Para Michael Moussou, ex-cantor de ópera e diretor artístico do festival de Atenas, a obra chega até a errar na postura da cantora.

"Nada poderia ser menos representativo de Maria Callas, já que nenhuma cantora de ópera — nem mesmo uma estudante do segundo ano da escola de música — adotaria tal pose com os braços cruzados em frente do peito", disse, lembrando que tal iria "bloquear a voz".

"Ópera é cantar e libertar a voz. Se Callas tentasse cantar, na vida real, na postura concebida pelo escultor, o resultado seria como um violinista a tentar tocar um violino partido", acrescentou.

A estátua foi criada por Afrodite Liti, professora de escultura na Escola de Belas Artes de Atenas, e levou vários anos para ser feita, tendo tido a aprovação do Conselho de Monumentos Modernos. O objetivo foi lançar a obra antes das celebrações destinadas a marcar o centenário do nascimento da artista, em 2023.

A artista afirmou ter-se inspirado em fotografias da cantora fornecidas pela Maria Callas Greek Society, o grupo de fãs que encomendou o trabalho. "Tive a alegria de estudar uma personalidade única e [a capacidade] de falar dela através da emoção", disse Liti.

Por sua vez, Liana Skourli, que fundou a Maria Callas Greek Society e ajudou a arrecadar fundos para a estátua, descreveu as críticas que estão a surgir como "totalmente" injustas, já que só o facto de a estátua ter sido erguida é uma prova de "sangue e lágrimas" dos poucos corajosos que queriam ver a cantora representada como é devido.

"Toda a filosofia por trás desta estátua era sobre a promoção da sua condição de grega", frisou. "Transmitir a paixão interior de qualquer celebridade é sempre difícil para qualquer escultor. Esperávamos um pouco de barulho, um pouco de confusão, mas nada assim", admitiu.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.