A proposta aceite foi apresentada pelo PCP (66L) e diz respeito à redução de açúcar e sal em todos os produtos comercializados na região.

O líder parlamentar do PS, Miguel Iglésias, lamentou hoje, na reunião da Comissão Permanente de Economia, Finanças e Turismo, que, "em tantas propostas, a maioria só tenha considerado uma proposta digna para aprovação”.

No entanto, o socialista considerou que “isso também tem o seu significado político”.

Por seu lado, o vice-presidente do Governo Regional, Pedro Calado, desvalorizou, lembrando que ainda há “mais três orçamentos” nesta legislatura e defendendo que o Executivo pretende melhorar essas propostas.

"É um Orçamento e um PIDDAR para o primeiro ano de legislatura de quatro anos, os esforços não se esgotam na execução do Orçamento de 2020, ainda teremos, para além deste, mais três orçamentos. Naturalmente esperamos melhorar a execução e a apresentação dessas propostas para os próximos três anos", referiu o governante na comissão.

Pedro Calado realçou ainda que aquilo que visa a ação do Governo é "ter o equilíbrio financeiro e a sustentabilidade económica e financeira da região”, bem como “ter as contas públicas controladas".

Desde terça-feira, a Assembleia Legislativa da Madeira tem vindo a discutir, na especialidade, as propostas de Orçamento Regional, de 1.743 milhões de euros, e do PIDDAR - Plano e Programa de Investimentos e Despesas de Desenvolvimento da Administração da Região para 2020, no valor de 548 milhões de euros.

Os documentos serão submetidos a votação na especialidade e votação final global na sessão plenária de hoje à tarde.

O presidente do Governo Regional da Madeira, Miguel Albuquerque, encerrará o debate.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.