De acordo com agência, o cadáver do homem, identificado com as siglas P.P.B.A., apresentava sinais de violência e encontrava-se na piscina de uma casa de que era proprietário na província espanhola de Valência, no passado dia 10 de agosto.

A Efe cita o relatório da Guardia Civil sobre a operação “SOT 116”, que conseguiu identificar os suspeitos “em poucas semanas” apesar de os dois indivíduos terem conseguido sair de Espanha, o que desencadeou uma operação policial de caráter internacional e que permitiu levar a cabo as detenções em Portugal.

Os detidos são identificados pelas siglas A.F.G.B, 23 anos, de origem portuguesa, e A.A.W., 26 anos, de nacionalidade brasileira.

O cidadão brasileiro foi detido no aeroporto de Lisboa e o português na zona da Maia, Porto, mas as datas das detenções não são referidas.

Segundo a Efe, as detenções ocorreram no âmbito de uma ordem internacional emitida pelo Tribunal de Instrução nº 04 de Llíria, Valência, Espanha, e que conduz a investigação sobre o crime.

Em agosto, fontes próximas do processo indicaram à Efe que o homem assassinado era proprietário da casa que alugava, através de um anúncio na internet, por 25 euros por dia, e que era supostamente utilizada para festas.

O cadáver, com os pés e as mãos presas, encontrava-se atado a um saco com pedras e estava imerso na piscina da casa, na localidade valenciana de Sot de Chera.

Segundo a Efe, o corpo foi encontrado por duas mulheres e encontrava-se em avançado estado de decomposição.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.