"Eu sou uma absoluta fã da economia do mar, até porque a minha experiência quando estive no Governo mostra-me que há poucas áreas onde Portugal seja tão reconhecido do ponto de vista internacional como nesta área do mar", disse à Lusa Assunção Cristas, à margem de uma visita à Incubadora de Empresas da Figueira da Foz, localizada no parque empresarial da Gala.

A líder centrista lembrou que Portugal possui "um capital histórico e de posicionamento geográfico" que leva a que o nosso país tenha um "reconhecimento automático" da sua relação com o mar a nível internacional.

"Devemos aproveitar esse bom capital externo para que aquilo que possamos evoluir neste domínio seja mais facilmente reconhecido a nível global. É uma oportunidade, uma responsabilidade e um desafio para o futuro", argumentou.

Assunção Cristas disse ainda que Portugal dispõe de "instrumentos legislativos relevantes" nesta área, desde logo a Lei de Ordenamento e Gestão do Espaço Marítimo, "aprovada no tempo da anterior legislatura por dois terços do Parlamento".

"Instrumentos que nos dão estabilidade e nos garantem que podemos ser atores liderantes na economia do mar, que é uma economia sustentável. Esta aliança entre o desenvolvimento económico e o respeito pelo ambiente é fundamental, consegue-se com inovação, com tecnologia e com ambição", declarou a presidente do CDS-PP.

"Acredito muito nesta área, que passa também pelo papel dos municípios puxarem esta agenda azul. Mais ligada à ciência ou ao desporto ou ao turismo, o que é importante é que possamos ter inovação em todos estes domínios e conseguir, de facto, posicionarmo-nos internacionalmente como líderes da economia azul", reafirmou.

Cristas destacou o "exemplo de trabalho em conjunto" na parceria existente na Figueira da Foz, onde desde 2016 está instalado o MAREFOZ, laboratório de investigação da Universidade de Coimbra, na incubadora de empresas gerida pela Associação Comercial e Industrial local em colaboração com o município.

"Estamos perante um belíssimo exemplo de uma incubadora que se virou para o mar e para a indústria e que está preocupada em desenvolver estas áreas e dar continuidade aos projetos", frisou a líder do CDS-PP, no final da visita que hoje efetuou acompanhada por candidatos do partido às eleições legislativas pelo círculo de Coimbra.

O MAREFOZ liderou, ao longo de dois anos e meio, um projeto de investigação e desenvolvimento tecnológico, intitulado CentroAdapt, financiado por fundos europeus e que se conclui no final do mês com uma conferência internacional e Assunção Cristas notou que "muitas vezes, os projetos que são candidatados, financiados e desenvolvidos, acabam por depois lhes faltar uma entidade, uma instituição que cuide deles e lhes dê seguimento".

"O facto de termos ouvido que ouve um projeto e uma plataforma [de ligação entre a universidade e as empresas] que juntou as entidades que sabem de determinada matéria para que quem precisa de ter conhecimento nesta área do mar, saiba a quem se pode dirigir, é positivo", argumentou ainda Assunção Cristas.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.