"Num certo sentido, todos somos sem-abrigo do sistema", disse Pedro Marques de Sousa, no Funchal, vincando que o partido defende a criação de um "ministério para as pessoas", de modo a promover um "trabalho de base" focado nos problemas da sociedade, desde as crianças em risco aos sem-abrigo.

O cabeça de lista do Nós, Cidadãos! pelo círculo da Região Autónoma da Madeira é independente, bem como todos os elementos que compõem a candidatura.

"É um sinal de confiança que o partido tem nos cidadãos", afirmou, destacando a importância da participação cívica.

"Mais vale ser leões por um dia, do que cordeiros toda a vida, porque é isso que o poder quer", disse. E reforçou: "O poder quer pessoas ignorantes e com medo. E nós não podemos continuar a tolerar este estado neofascista."

O candidato defendeu a necessidade que instituir uma "secretaria de Estado para a promoção do emprego digno", pois o partido considera que há uma "faixa muito grande de pessoas" que não são protegidas, apesar de auferirem vencimentos acima do salário mínimo.

"Não temos de seguir uma lógica partidária. Temos de pensar que nós somos os cidadãos, os problemas têm de ser resolvidos de base e não com panfletos distribuídos em campanha eleitoral", realçou.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.