"Um reconhecimento do seu trabalho inovador"

O primeiro-ministro considerou hoje que a atribuição do Prémio Pessoa 2020 à investigadora Elvira Fortunato distingue o seu trabalho inovador na área das tecnologias sustentáveis e constitui um sinal da centralidade da ciência como motor de desenvolvimento.

"A atribuição do Prémio Pessoa a Elvira Fortunato é mais um reconhecimento do seu trabalho inovador em investigação de tecnologias sustentáveis e da sua notável capacidade empreendedora", escreveu António Costa na sua conta pessoal na rede social Twitter.

Na mesma mensagem, o primeiro-ministro defende também que a escolha do júri do Prémio Pessoa "é também um importante sinal da centralidade da ciência como motor de desenvolvimento nacional".

"Pioneira na área de eletrónica flexível"

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, felicitou hoje a cientista Elvira Fortunato.

"O Presidente Marcelo Rebelo de Sousa congratula calorosamente a professora doutora Elvira Fortunato pelo Prémio Pessoa 2020, um reconhecimento merecido pela importância do seu trabalho na área da eletrónica flexível, com grande impacto na indústria mundial e que demonstra uma preocupação ambiental pelo uso de materiais ecossustentáveis, recicláveis e de baixo custo", lê-se numa nota publicada no sítio oficial da Presidência da República na Internet.

Nesta mensagem, o chefe de Estado elogia Elvira Fortunato pela sua "excelência a nível científico e de inovação" e destaca os "inúmeros prémios e distinções a nível internacional" atribuídos à cientista portuguesa, "pioneira na área de eletrónica flexível, em particular nos transístores de papel".

"Em 2015 foi nomeada presidente da comissão organizadora das comemorações do Dia de Portugal, Camões e das Comunidades Portuguesas, e é desde junho de 2016, por nomeação do Presidente da República, membro do Conselho das Ordens Nacionais portuguesas. Foi-lhe atribuído o grau de grande-oficial da Ordem do Infante D. Henrique em 2010", assinala-se na nota.

Um "exemplo para todas as jovens"

O ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Manuel Heitor, felicitou hoje a cientista Elvira Fortunado pela distinção com o Prémio Pessoa 2020, considerando-a um "exemplo para todas as jovens".

"É um exemplo para todas as jovens sobre o papel das mulheres na ciência e no avanço das ciências e tecnologias dos materiais", sublinhou o ministro numa reação enviada à agência Lusa.

"Contributo notável para o desenvolvimento científico, tecnológico e de inovação português"

"Estou muito contente", expressou Helena Pereira, numa reação à Lusa, salientando que a investigadora Elvira Fortunato e a sua equipa são "parte importante do sistema científico nacional que a FCT tem financiado".

Para a presidente da FCT, a distinção significa "o reconhecimento do trabalho científico, do sucesso científico e da criação de conhecimento" da investigadora, professora e vice-reitora da Universidade Nova de Lisboa.

Elvira Fortunato, que inventou o transístor de papel, venceu o Prémio Pessoa 2020, anunciou hoje o júri, numa transmissão 'online', que a distinguiu por "uma carreira de excecional projeção, dentro e fora do país" e pelo "contributo notável para o desenvolvimento científico, tecnológico e de inovação português".

"A ideia de usar o papel como um 'material eletrónico' abriu portas, em 2016, para futuras aplicações em produtos farmacêuticos, embalagens inteligentes ou 'microchips' recicláveis, ou até páginas de jornal ou revistas com imagens em movimento", relembrou o júri.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.