O encontro aconteceu na quinta-feira passada, o mesmo dia em que o Presidente Marcelo Rebelo de Sousa falou ao telefone com o próximo Presidente dos EUA.

O diretor da National Organization for Portuguese Americans (NOPA), Francisco Semião, que esteve presente no encontro, disse à Lusa que o conselheiro "explicou que não podia falar em nome de Trump, mas reconheceu a importância das Lajes e ficou entendido que as conversas com a nova administração continuariam."

"Phares disse que, enquadrada na promessa de Trump de fortalecer o setor militar, havia uma disponibilidade para revisitar alguns temas e reconheceu que se os chineses ganharem uma posição naquela zona pode ser um problema", disse Semião.

A 8 de janeiro de 2015, o secretário da Defesa dos Estados Unidos, Chuck Hagel, anunciou uma redução de 500 militares na base das Lajes, na ilha Terceira, Açores.

O primeiro-ministro português, António Costa, admitiu no ano passado que a base aérea das Lajes pode ser usada pela China se os Estados Unidos não renovarem o acordo de exclusividade, mas apenas para fins científicos e não militares.

Durante o encontro, que aconteceu na embaixada de Portugal em Washington, o embaixador Fezas Vital "abordou ainda outros temas que são importantes para Portugal."

"Falaram também na questão da imigração, sobretudo em relação a vistos para investidores", explicou Semião.

Francisco Semião, que fez parte da campanha de Donald Trump, organizou o encontro a pedido da embaixada portuguesa.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.