“Lamento confirmar que duas pessoas que viajaram de Beni para Mwanga no Kivu Sul, #RDC estão infetadas com #Ébola. Isto gerou uma resposta rápida do @MinSanteRDC [Ministério da Saúde da RDCongo], @WHO [OMS] e parceiros para providenciar tratamento, identificar todos os contactos, chamar a atenção da comunidade e iniciar a vacinação”, declarou o diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, numa publicação através da rede Twitter.

“Dois casos positivos de Ébola foram confirmados durante a noite de 15 de agosto no Kivu Sul, na região de Mwenga”, disse o governo local à agência France-Presse, precisando que uma vítima com 26 anos morreu e uma das suas crianças foi identificada positivamente, estando viva e a receber cuidados médicos.

A República Democrática do Congo (RDCongo) registou 257 novas infeções pelo vírus do Ébola nas últimas três semanas, elevando para mais de 2.780 o número de casos e para 1.867 as mortes ligadas à doença, de acordo com os mais recentes dados, da semana passada, da OMS.

De acordo com estes números divulgados pela OMS na semana passada, entre 17 de julho e 06 de agosto foram registados 257 novos casos em 16 zonas de saúde, com a maioria a serem registados nas zonas de Beni (119) e Mandima (58).

De acordo com a OMS, não houve registo de novos casos em Goma, uma cidade de dois milhões de habitantes, próxima da fronteira com o Ruanda, onde a 14 de julho foi registado o primeiro caso confirmado de Ébola.

As autoridades continuam a registar novas infeções entre o pessoal dos serviços de saúde, com 14 casos confirmados naquele período.

Os novos casos elevaram para 149 o número de trabalhadores dos serviços de saúde infetados.

Até 06 de agosto, o número acumulado de casos registados no país era de 2.781, incluindo 2.687 confirmados e 94 prováveis, dos quais 1.866 se revelaram fatais, elevando para 67% a taxa de mortalidade da doença.

Do total de casos, 56% (1.572) eram mulheres e 28% (791) crianças e jovens com menos de 18 anos.

A epidemia de Ébola, que está localizada nas províncias de Kivu Norte e Ituri (leste e nordeste da RDCongo), mantém, segundo a OMS, a intensidade de transmissão com uma média de 86 novos casos por semana nas últimas seis semanas.

Atualmente não há casos confirmados fora da República Democrática do Congo.

Desde que a epidemia do vírus foi declarada no país, já foram vacinadas 181.389 pessoas.

A Organização Mundial de Saúde declarou no dia 17 de julho o estado de emergência internacional na RDCongo devido ao Ébola.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.