Em comunicado, a GNR adiantou que os militares do subdestacamento de Controlo Costeiro de Olhão detetaram, durante uma operação de fiscalização realizada na terça e na quarta-feira, dois homens que “faziam o transporte dos bivalves sem a documentação necessária que comprovasse a sua rastreabilidade”.

Numa análise mais pormenorizada ao pescado e aos bivalves, os militares apuraram também que “os espécimes do polvo não apresentavam o peso legalmente previsto”, sendo, por isso, imaturos para captura.

Os dois homens incorrem em coimas até 3.740 euros por falta de documentação no transporte de bivalves, até 44.891 euros por fuga à lota e até 37.500 euros pelo transporte de pescado de tamanho ou peso inferior ao legalmente previsto.

Os bivalves, por ainda se encontrarem vivos, foram restituídos ao seu habitat natural. Os exemplares de polvo sem o tamanho mínimo regulamentar foram doados a uma instituição de solidariedade social.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.