"Vamos atingir estas organizações terroristas da maneira mais forte", disse Erdogan num discurso público em Istambul. "Face às novas estratégias dos terroristas, desenvolveremos novas formas de combate e venceremos rapidamente", acrescentou. "Não combatemos a democracia, mas o terrorismo, não combatemos os direitos humanos, mas os terroristas", disse o presidente turco, respondendo aos que o acusam de uma viragem autoritária.

Erdogan também colocou em xeque a postura dos países da União Europeia (UE) na luta contra os curdos, que segundo ele "podem montar uma tenda de campanha em Bruxelas, em frente ao edifício do Conselho Europeu". "Atrás do edifício onde assinámos o acordo (turco-europeu de 19 de março sobre os migrantes em Bruxelas), a organização terrorista ergue uma tenda de campanha", disse Erdogan referindo-se ao Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK). "Como é possível que a União Europeia, que considera esta organização como terrorista, possa tolerar tal situação?", perguntou-se. "Onde está a sinceridade, a honestidade? É uma hipocrisia", insistiu o homem forte da Turquia. No domingo, a Turquia convocou o embaixador da Bélgica em Ancara para protestar pela instalação, perto da sede da Comissão Europeia, de uma tenda de campanha do PKK. 

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.