A medida vem sendo posta em prática no concelho desde 2015 e visa assegurar tratamentos essenciais a cidadãos que as instituições parceiras da Rede Social do Concelho de Espinho já identificaram como comprovadamente em situação de não os poderem financiar por meios próprios.

"A autarquia contratualizou os tratamentos com clínicas dentárias e óticas, mediante os melhores orçamentos apresentados", explica fonte da autarquia. "Os beneficiários primeiro foram às consultas de avaliação, para saberem de que tratamentos precisavam e serem apresentados os devidos orçamentos, e agora assinam um documento que permitirá à Câmara pagar esses procedimentos diretamente às clínicas e óticas, depois de realizados", revela.

Os apoios em causa abrangem cidadãos "dos 20 aos 50 anos" e as respetivas verbas irão financiar sobretudo a aplicação de próteses dentárias e a aquisição de óculos com lentes graduadas.

"São situações que estes cidadãos precisam mesmo corrigir, não apenas por questões de saúde, mas também para melhorarem as circunstâncias da sua vida ativa", realça a mesma fonte da autarquia.

A Câmara Municipal propõe-se, por isso, "continuar a reforçar este apoio e alargá-lo aos munícipes sinalizados com necessidades de saúde e carência económica comprovadas, no sentido de lhes devolver a autoestima, promover a sua saúde oral e aumentar as possibilidades de inserção profissional de quem está desempregado".

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.