"A esquerda governamental, que tem o sentido da responsabilidade e a consciência da importância do momento histórico em que nos encontramos, deve dar o seu contributo para o êxito do país e do quinquénio que começa", indicou o socialista Bernard Cazeneuve em comunicado.

O chefe do Governo francês disse que o triunfo de Macron "deve ser também o de todos os franceses que querem, de forma construtiva, que a França progrida".

"A partir de agora, o desafio das legislativas é dar força e credibilidade a essa aspiração", acrescentou.

Para Cazeneuve, o resultado das eleições de hoje, que segundo as primeiras projeções deram a vitória ao candidato centrista, Emmanuel Macron, com 65% dos votos, contra a candidata de extrema direita, Marine Le Pen, reflete "a lucidez dos eleitores", que "demonstraram o seu compromisso indefetível com os valores da República".

"Optaram pela ancoragem [de França] no seio da União Europeia, pela sua proteção e a sua unidade perante os desafios do mundo, principalmente perante a ameaça terrorista", disse o primeiro-ministro, que desejou "êxito" a Macron "no exercício das suas funções ao serviço do país".

O centrista Emmanuel Macron foi eleito Presidente de França com um intervalo entre 65,5 a 66,1% dos votos, segundo as primeiras projeções divulgadas após o fecho das urnas.

As estimativas atribuem a Marine Le Pen (extrema-direita) uma votação entre 33,9% e 34,5%.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.