"Eu estava à procura de tratores", disse o ex-agricultor de 65 anos à BBC. "Mas cheguei a outra página que tinha um nome semelhante e fiquei a olhar para ela durante algum tempo. Não devia", disse Parish na explicação dada.

"Mas o erro, o meu grande erro, foi que voltei uma segunda vez e foi deliberado", num momento de "descontrolo", afirmou quase à beira de lágrimas.

Em entrevista publicada no sábado pelo The Daily Telegraph, Parish já adiantava a ideia de ter entrado no site "por engano".

"Apoiamos a decisão (de Neil Parish) de deixar o cargo de membro do Parlamento", disse um porta-voz do Partido Conservador do distrito de Tiverton e Honiton, onde Parish foi eleito deputado em 2019.

Este anúncio acontece depois de o jornal Daily Mirror ter indicado que um membro do governo de Boris Johnson se ter referido ao incidente na noite de terça-feira, durante uma reunião de parlamentares conservadores.

Na quarta-feira, foi lançada uma investigação sobre o assunto dentro do partido de Johnson, mas o nome do deputado envolvido não foi revelado.

"Essa atitude é totalmente inaceitável", disse um dos oficiais disciplinares dos conservadores, que exigiu que "medidas fossem tomadas".

Por fim, Parish entregou-se à comissão parlamentar que investiga o comportamento dos deputados, anunciou esta sexta-feira o Partido Conservador, que o suspendeu do cargo no grupo parlamentar enquanto durassem as investigações.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.