Guy Wesley Reffitt, 49 anos, é acusado de ter invadido o Capitólio com uma arma no coldre presa à cintura e de ter enfrentado os polícias que guardavam as portas do Senado, para além de ser suspeito de ter ameaçado os filhos adolescentes se o denunciassem às autoridades, após o ataque ao Capitólio, em 06 de janeiro de 2021.

Durante as alegações finais do julgamento, a procuradora Risa Berkower disse aos jurados que Reffitt se dirigiu até Washington, D.C. com a intenção de impedir o Congresso de validar a vitória eleitoral do candidato presidencial democrata Joe Biden.

O advogado de defesa, William Welch, negou que Reffitt tivesse transportado uma arma para o Capitólio e disse que não há provas de que ele se tenha envolvido em violência ou em comportamento destrutivo, pedindo aos jurados para absolverem o seu cliente de todas as acusações, menos uma: ter entrado em zona de acesso restrito.

Reffitt enfrenta cinco acusações criminais — obstrução de procedimento oficial; estar ilegalmente presente no Capitólio armado com uma arma de fogo; transportar armas de fogo durante u1ma desordem civil; interferir com forças policiais durante uma desordem civil; e obstruir a justiça (relacionada com as ameaças aos filhos).

Reffitt foi detido menos de uma semana após o motim e está há vários meses em prisão preventiva em Washington.

Mais de 750 pessoas foram acusadas por crimes federais relacionados com o motim do Capitólio, pelo que uma condenação pode ter um forte impacto nos casos que vão ser julgados nos próximos meses.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.