1. Exxon está a ser processada por saber da sua contribuição para o aquecimento global 

O Supremo Tribunal de Massachusetts decidiu esta semana que a maior empresa de petróleo dos EUA, a ExxonMobil, vai a julgamento por acusações de ter mentido sobre a crise climática e ter encoberto o papel da indústria de combustíveis fósseis no agravamento da devastação ambiental.

Planeta A

Uma volta ao mundo centrada nos temas que marcam.

Todas as semanas, selecionamos os principais trabalhos associados à rede Covering Climate Now, que o SAPO24 integra desde 2019, e que une centenas de órgãos de comunicação social comprometidos em trazer mais e melhor jornalismo sobre aquele que se configura como um tema determinante não apenas no presente, mas para o futuro de todos nós: as alterações climáticas ou, colocando de outra forma, a emergência climática.

O processo acusa a empresa de ter violado as leis de proteção ao consumidor do estado com um encombrimento de décadas do que sabia sobre o impacto no clima da queima de combustíveis fósseis. O estado diz também que a Exxon enganou os investidores sobre os riscos para os seus negócios que advêm do aquecimento global. 

Para ler na íntegra em The Guardian

2. Também a Shell sabe do “danos extremos ao clima” que faz, mas não há qualquer mudança, diz consultora  

Uma consultora de segurança há mais de uma década da Shell Oil despediu-se, alegando que a empresa sabe que o petróleo e gás causa “danos extremos ao clima”, mas continua a expandir a produção, como se nada fosse. 

Além disso, acusou também a empresa de prometer diminuir as emissões de gases de efeito estufa, enquanto, ao mesmo tempo, investiga novas fontes de combustível fóssil.

Caroline Dennett disse que a mudança climática não é de todo um tema de discussão entre os funcionários da empresa. “Provavelmente essas conversas estão a acontecer nos departamentos de relações públicas e marketing e branding, mas não nas divisões operacionais”, referiu.

Para ler na íntegra em AP News

3. Se cortarmos agora no metano podemos evitar o agravamento da crise climática

Um novo estudo descobriu que cortar o metano e outros “poluentes climáticos de curta duração” é uma solução climática essencial. 

O dióxido de carbono é o gás de efeito estufa mais responsável pelo aquecimento do planeta, sendo a maior parte proveniente da queima de combustíveis fósseis. Como resultado, tem sido o principal foco dos esforços internacionais para evitar o colapso climático. Mas o efeito de aquecimento do metano é 80 vezes maior que o do CO2, apesar de se degradar mais rapidamente na atmosfera.

Por isso, cortar drasticamente o metano pode dar-nos tempo para a tarefa mais difícil: reduzir as emissões de carbono.

Para ler na íntegra em The Guardian

Por cá: Portugal é um dos países que mais vai sentir as alterações climáticas, alerta governo

O ministro do Ambiente e da Ação Climática, Duarte Cordeiro, alertou hoje que Portugal é na Europa “um dos países que mais sente e vai sentir” os efeitos das alterações climáticas como a subida do nível das águas.

“Portugal é em toda a Europa um dos países que mais sente, e mais vai sentir, os efeitos das alterações climáticas e dos fenómenos extremos e subida do nível de águas”, afirmou o governante, em Vila do Conde, no distrito do Porto, a discursar numa cerimónia de assinatura de um protocolo de intervenção para proteger o sistema dunar entre Mindelo e a Ribeira de Silvares.

Duarte Cordeiro salientou que “todo o litoral vai obrigar a uma atuação permanente, vigilante e persistente de recarga de praias, reposição do sistema dunar, manutenção de estruturas de defesa costeira, de desassoreamento dos sistemas dunar e das barras.

Para ler na íntegra em SAPO24

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.