No requerimento enviado ao Provedor da Justiça, Isaque Chande, ex-ministro da Justiça, Assuntos Constitucionais e Religiosos, a mulher de Américo Sebastião sublinhou que as autoridades portuguesas “estão disponíveis para enviar elementos da Polícia Judiciária a Moçambique, para ajudar nas investigações”.

Salomé Sebastião vincou também no documento a que a agência Lusa teve acesso que Portugal manifestou “total disponibilidade com as autoridades moçambicanas na investigação deste rapto”, igualmente com “todos os meios necessários para que as diligências se façam com eficácia”.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.