O anúncio foi feito pela porta-voz da diplomacia russa, Maria Zakharova, através da televisão estatal Russia-1.

A entidade reguladora da comunicação britânica, Ofcom, anunciou que pode reconsiderar a autorização dada à RT por achar que o canal está a ser utilizado para propaganda pró-Kremlin.

As suspeitas surgem após as acusações feitas ao governo de Moscovo pelo envolvimento no envenenamento de um ex-espião russo, Serguei Skripal, em território britânico.

Na segunda-feira, a primeira-ministra britânica, Theresa May, considerou “altamente provável” que o envenenamento do ex-agente tenha autoria russa, classificando-o como um ataque “cego e imprudente contra o Reino Unido”.

Serguei Skripal, de 66 anos, e a filha Yulia, de 33 anos, foram encontrados inconscientes no dia 04 de março, num banco num centro comercial em Salisbury, no sul de Inglaterra.

Na quarta-feira seguinte, o chefe da polícia antiterrorista britânica, Mark Rowley, revelou que o ex-agente duplo russo e a sua filha tinham sido vítimas de um ataque deliberado com um agente que ataca o sistema nervoso.

Os dois têm permanecido hospitalizados, nos cuidados intensivos, em “estado crítico, mas estável”.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.