Falando em Vila Real, no final de uma cimeira entre os parlamentos de Portugal e Espanha, Ferro Rodrigues reconheceu que a não inclusão de Almaraz no texto de conclusões dos trabalhos indica que “há perspetivas muito próximas ou mesmo iguais na maior parte das questões” mas “nessa questão não há exatamente posições iguais”

“Há mais vida nas relações luso-espanholas do que Almaraz”, disse ainda, questionado sobre a eventual “contaminação de relações” entre os dois países por causa do tema e evocando palavras do antigo Presidente da República Jorge Sampaio, na altura a propósito do défice e do Orçamento.

“Aquilo que o parlamento português pediu foi que houvesse na cimeira entre Portugal e Espanha a nível de governos a discussão desse tema. E também houve uma posição comum aprovada por unanimidade no parlamento português”, lembrou ainda.

Já a presidente do Congresso dos Deputados de Espanha, Ana Pastor, optou por valorizar a relação entre Portugal e Espanha – “mais que vizinhos, somos países irmãos”, disse -, não abordando o tema de Almaraz.

Foram discutidos, disse a responsável apenas, “questões transfronteiriças” de “todos os âmbitos”, em áreas como “energia, proteção da natureza ou infraestruturas”, para além da presença de Portugal e Espanha na União Europeia e na moeda única.

As conclusões do Fórum Parlamentar Luso-Espanhol, que entre domingo e hoje decorreu em Vila Real, não fazem qualquer alusão direta à questão da central nuclear de Almaraz, embora destaque a proximidade de ambos os países em vários domínios.

As conclusões do encontro abarcam a troca de experiências e várias posições comuns em diversas matérias, mas no campo da energia é apenas referido que “foi reafirmado o empenho no aprofundamento da troca mútua de informações”, num “espírito de diálogo e transparência” e no quadro da União Europeia.

“Foi destacada a importância de defender e promover um modelo energético sustentável, através da utilização de recursos endógenos renováveis. As duas delegações trataram, de acordo com as suas próprias posições, dos efeitos transfronteiriços da utilização das distintas fontes de energia”, é referido no texto final dos trabalhos.

Na sexta-feira, o parlamento português aprovou, por unanimidade, um voto de repúdio apresentado pelo Partido Ecologista “Os Verdes” em que se apela ao Governo português para defender, junto de Espanha, o encerramento da Central Nuclear de Almaraz, na próxima cimeira ibérica que decorre também em Vila Real na próxima semana.

O Fórum Parlamentar Luso-Espanhol juntou deputados dos dois países, de vários partidos quer em Portugal quer em Espanha, e abordou a presença de ambos os Estados-membros da União Europeia (UE) no espaço continental, antecipando a cimeira ibérica.

O fórum dos deputados ibéricos decorreu hoje na Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD), depois de, no domingo, as duas delegações se terem juntado num registo mais informal, num passeio de barco no rio Douro e num jantar em Peso da Régua.

Em 29 e 30 deste mês decorrerá também em Vila Real a 29.ª cimeira luso-espanhola, “que este ano é dedicada à cooperação transfronteiriça”, indicou o Governo de Portugal.

O Governo português é liderado pelo PS, com apoio parlamentar da esquerda, e o executivo de Espanha é chefiado por Mariano Rajoy do Partido Popular, de direita.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.