Numa nota enviada hoje à imprensa, o partido informa que a festa "tem sido pretexto para uma gigantesca operação reaccionária que mais que a Festa, visa atacar o PCP e sobretudo abrir caminho à limitação do exercício de direitos e liberdades dos trabalhadores e do povo, designadamente o direito de resistirem à liquidação dos seus direitos como se viu com a campanha contra o 1o de Maio".

Na nota é referido que se trata de uma "pulsão antidemocrática mal disfarçada" que está a fazer de tudo para que a festa não se realize.

"Mentem insistindo na ideia que os festivais estão proibidos e fingem não ver o que se passa, e bem, no País: dezenas de festivais e espectáculos que se estão a realizar, ao ar livre ou em espaços fechados como o Campo Pequeno; praias cheias, incluindo com turistas estrangeiros; centros comerciais a funcionar; as actividades religiosas retomadas, nomeadamente a peregrinação de Agosto em Fátima com muitos milhares de participantes. Como fingem não ver o que se perspectiva em termos de desenvolvimento das diversas actividades, a começar pelo início do ano letivo de forma presencial e posteriormente com provas de automobilismo e motociclismo", pode ler-se no comunicado.

O PCP salienta que a Festa do Avante! "está a ser preparada com a garantia de medidas de prevenção e proteção sanitária" que salvaguardam "o usufruto em condições de segurança e tranquilidade que preenchem e ultrapassam as que existem em múltiplas actividades".

Este domingo, a Direção-Geral da Saúde entregou à organização um parecer técnico, mas não divulgou o conteúdo, salientando que a decisão de o tornar público cabe ao PCP. Sobre este assunto, o partido explica que o parecer "traduz a tomada de conhecimento que na Festa do Avante! estão preenchidas condições de segurança iguais ou superiores àquelas que se dispõem na frequência das praias, nos numerosos espectáculos e festivais que se realizam pelo País ou simplesmente nas idas a centros comerciais".

Assim, o PCP salienta que vai divulgá-lo ainda hoje, mas que considera que a DGS está a ser mais exigente com a Festa do Avante! do que com outros eventos.

"No seu conteúdo, o Parecer traduz a tomada de conhecimento que na Festa do Avante! estão preenchidas condições de segurança iguais ou superiores àquelas que se dispõem na frequência das praias, nos numerosos espectáculos e festivais que se realizam pelo País ou simplesmente nas idas a centros comerciais. Sem prejuízo do registo de recomendações que se acolherão, em função da avaliação concreta do Plano de Contingência apresentado pelo PCP (que ainda hoje será divulgado), este preenche e respeita o conjunto de normas em vigor. Num quadro em que a garantia de protecção sanitária deve respeitar simultaneamente os direitos, liberdades e garantias constitucionalmente consagradas", frisa o comunicado.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.