“Mostre-me o valente que é e prove que estou equivocado”, afirmou o deputado, um dos políticos mais críticos da administração do Presidente filipino, Rodrigo Duterte, durante uma conferência de imprensa, em Manila, na qual apresentou documentos que diz sustentarem a sua acusação.

Os documentos sobre os fundos bancários, que o gabinete do senador facultou à agência Efe, contêm registos de supostas contas bancárias da propriedade do Presidente de 2006 a 2015, período em que era autarca de Davao, das quais os seus três filhos adultos e a sua atual mulher, Honeylet Avanceña, também são titulares.

Na sua campanha como candidato a vice-presidência nas eleições de maio do ano passado, Trillanes denunciou que Duterte tinha acumulado, sem declarar, grandes quantidades de dinheiro de procedência duvidosa.

O então autarca de Davao rejeitou as acusações e defendeu a sua inocência.

Duterte “afirmou que me ia demonstrar que estou equivocado, mas passaram nove meses e não vi nada, pelo que, senhor Presidente, é já chegada a hora. Não vou deixar o assunto passar em branco”, frisou Trillanes.

O Presidente das Filipinas ainda não reagiu, mas o seu porta-voz, Ernesto Abella, tentou minimizar a acusação, considerando que procura “desenterrar assuntos que já foram resolvidas”.

“Se [Trillanes] realmente pensa isso, talvez deva contactar as autoridades competentes para o demonstrar”, acrescentou.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.