“Quarenta e oito terroristas do Daesh (acrónimo árabe para Estado Islâmico) foram mortos nos confrontos”, declarou à agência France-Presse o general Khattab Omar Aref, adiantando que alguns dos homens se fizeram explodir após terem sido encurralados pelas forças de segurança.

Unidades especiais de contraterrorismo e informações participam em buscas dos combatentes do EI que atacaram edifícios públicos na cidade na madrugada de sexta-feira.

Desde então têm decorrido combates na cidade, situada a cerca de 240 quilómetros a norte de Bagdad e que se encontra sob recolher obrigatório.

Um alto funcionário do Ministério do Interior disse que pelo menos outras 46 pessoas morreram no ataque e nos combates que se seguiram, na maioria membros das forças de segurança.

“As forças de segurança controlam a situação agora, mas ainda existem bolsas de ‘jihadistas’ nalguns bairros do sul e leste” da cidade, disse Aref.

O responsável indicou que o EI pretendia controlar edifícios governamentais.

“Não conseguiu, tal como está a ser derrotado nos arredores de Mossul”, disse o chefe da polícia, numa referência à ofensiva militar iraquiana iniciada na segunda-feira à cidade bastião do Estado Islâmico.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.