O homem detido pertence ao círculo próximo do suspeito, mas não é da sua família, precisou a mesma fonte.

Chérif Chekatt abriu fogo sobre as pessoas que se encontravam no mercado natalício daquela cidade francesa na terça-feira à noite, gritando “Allah Akbar!” (“Deus é grande!”), num atentado cujo balanço, hoje atualizado, é de três mortos e 13 feridos.

Os pais do autor do tiroteio e dois dos seus irmãos tinham já sido detidos na noite de terça para quarta-feira.

Entretanto, prossegue a caça ao homem, depois de o suspeito, ferido numa troca de tiros com um militar, ter conseguido escapar.

Uma importante operação policial estava em curso hoje à tarde no bairro de Neudorf, em Estrasburgo, onde foi perdido o rasto de Chérif Chekatt.

Polícias fortemente armados e protegidos por escudos avançavam pelo bairro e entravam em diversas casas, com armas automáticas prontas a disparar, refere a agência noticiosa francesa AFP.

“Trata-se de uma operação de busca semelhante às que ocorreram nas últimas 36 horas”, declarou o ministro do Interior, Christophe Castaner, no Senado.

“As buscas decorrem em diversos locais. De momento, ninguém pode dizer que a pessoa que procuramos se encontra em determinado local”, confirmou uma fonte policial também citada pela AFP.

Um outro responsável policial precisou que esta operação foi desencadeada no âmbito do inquérito, mas não tem “por objetivo imediato” a detenção do suspeito.

Numerosos veículos da polícia foram colocados nas ruas do bairro para bloquear a circulação.

São mais de 700 polícias na 'Caça ao Homem'

Segundo as últimas notícias avançadas pelos meios franceses, Chérif Chekatt terá viajado de táxi em direção ao bairro de Neudorf após o tiroteio de terça-feira. Registaram-se trocas de tiros com a polícia, que de seguida perdeu o seu rasto.

De acordo com o Le Figaro, cerca de 720 pessoas, entre polícias e outros membros de segurança, estão há praticamente 36 horas à procura do seu paradeiro — não sendo certo que esteja emFrança.

As equipas de investigação chegaram inclusivamente a seguir pistas que sugeriam que este podia estar refugiado em Kehl, na Alemanha. No entanto, também na Suíça a 130 quilómetros do sul de Estrasburgo, se intensificou as medidas de segurança na fronteira.

Na terça-feira à noite, um homem abriu fogo no mercado de Natal de Estrasburgo, num ataque que fez três mortos e 13 feridos, depois de gritar “Allah Akbar” (“Alá é grande”).

Após uma troca de tiros com um soldado, conseguiu escapar e continua a ser procurado.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.