O texto, aprovado de maneira definitiva pela Assembleia Nacional estabelece que "a compra de atos sexuais será punida com uma multa de 1.500 euros, e até 3.500 em caso de reincidência".

Está ainda prevista a possibilidade de uma pena complementar, que consiste numa formação obrigatória para consciencializar sobre as condições da prostituição.

Enquanto que o proxenistimo é penalizado em todos os países europeus, os clientes das prostitutas são só punidos em cinco países, se se incluir a França.

A Suécia foi o primeiro país europeu a passar multas aos clientes das prostitutas, em 1999, seguiu-se a Noruega, Islândia, Reino Unido e agora a França.

Estima-se que existam entre 30.000 e 40.000 prostitutas em França e que a maioria seja proveniente da Europa Oriental, África, China e América Latina.

O tema foi alvo de polémica e divisões. Para os partidários, a penalização dos clientes ajuda a dissuadir a procura e torna as prostitutas vítimas e não delinquentes.

Para os que estão contra esta medida, sancionar os clientes coloca as prostitutas em perigo, pois ficarão mais isoladas. Durante a votação, foi realizada uma manifestação das profissionais do sexo que exibiam cartazes onde se lia "Clientes penalizados, p****s assassinadas".

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.