Durante o lançamento das Bolsas Gulbenkian Mais, em Lisboa, a presidente da Fundação agradeceu a colaboração da VINCI, afirmando que foi esta parceria que permitiu, este ano, apoiar mais jovens estudantes.

"O grupo VINCI, através do programa para a Cidadania, é a razão pela qual podemos assegurar que na edição 2020 as Bolsas Gulbenkian Mais têm um reforço significativo do número de bolsas a atribuir", sublinhou a presidente da fundação, Isabel Mota.

A participação do grupo VINCI nesta edição das Bolsas Gulbenkian Mais​acontece através do seu programa para a Cidadania​​​​, uma iniciativa que junta as várias empresas do grupo (que inclui a ANA Aeroportos de Portugal, a VINCI Energies Portugal e a Fondation VINCI pour la Cité, mentoras do programa) num compromisso para apoiar o progresso e desenvolvimento das comunidades mais próximas dos locais onde exercem atividade.

No próximo ano, as bolsas da Gulbenkian para o ensino superior representam, segundo a instituição, um investimento de meio milhão de euros, só no final de outubro, quando terminam as candidaturas, se saberá em quantas bolsas se traduz este reforço, uma vez que o valor dos apoios varia.

Por ano, a Fundação disponibiliza 3 mil euros aos estudantes deslocados, o que corresponde a 300 euros por mês, e 1.500 euros (cerca de 150€ por mês) aos bolseiros que estudam no local de residência habitual.

Para Isabel Mota, este aumento do número de bolsas disponíveis é particularmente relevante no contexto atual, em que a pandemia da covid-19 se fez acompanhar de maiores dificuldades económicas para muitas famílias.

"É um apoio muito importante e muito relevante no acesso à educação superior e ainda mais num momento em que estamos a viver", considerou a presidente da Fundação Calouste Gulbenkian.

As Bolsas Gulbenkian Mais têm como objetivo apoiar a formação académica de estudantes de mérito que, simultaneamente, tenham poucos recursos económicos para seguir para o ensino superior.

Além do apoio financeiro, estas bolsas incluem ainda um programa da valorização pessoal, com a disponibilização de uma formação no âmbito da inteligência emocional e liderança, a integração na rede de bolseiros, a atribuição de um mentor a cada estudante e debates sobre os desafios atuais e futuros do mundo.

Durante a apresentação das bolsas, o secretário de Estado da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior aproveitou para agradecer à Fundação Calouste Gulbenkian e à VINCI pelo contributo naquele que também é um objetivo do Governo.

"O vosso contributo é mais um no caminho que queremos fazer de usar o ensino superior como promotor da igualdade. E é evidente que o ensino superior também vai ter um retorno para todos nós", sublinhou João Sobrinho Teixeira.

As Bolsas Gulbenkian Mais são atribuídas a estudantes que se candidatam pela primeira vez ao ensino superior, com média de entrada superior a 17 valores e com menos recursos financeiros e, dependendo de um bom desempenho académico, pode ser renovada anualmente até à conclusão do mestrado.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.