“Em 2017, a Google implementou 28 novas políticas de anúncios e 20 novas políticas para ‘publishers’ (anunciantes) para melhorar ainda mais o combate aos chamados anúncios maus. Tornou ainda mais restritivas as suas políticas para proteger ainda melhor os utilizadores de anúncios enganadores e predatórios e outros esquemas e reforçou a tecnologia para deteção e desativação, mais precisa e rápida dos chamados ‘bad ads’ (maus anúncios)”, disse, em comunicado, a empresa.

No período de referência, a Google bloqueou mais de 12.000 páginas por duplicação e cópia de conteúdos, o que traduz um aumento de 2.000 ‘sites’, face a 2016.

Foram removidos mais de 130 milhões de anúncios por “tentativa de abuso”, com o objetivo de “enganar ou contornar” os processos de análise da Google. A empresa bloqueou ainda 79 milhões de anúncios que reconduziam os utilizadores para páginas inseguras e 48 milhões de anúncios que tinham o objetivo de levar o utilizador a instalar ‘software’ não desejado.

Relativamente à remoção de incentivos económicos para as páginas criarem e disseminarem conteúdos ‘online’ falsos, a Google diz que removeu 320.000 anunciantes da rede e bloqueou quase 90.000 páginas e 700.000 aplicações para telemóvel.

Por outro lado, a empresa introduziu uma nova tecnologia que permite remover, mensalmente, anúncios Google de mais de dois milhões de URL’s (endereços de rede).

“A publicidade digital desempenha um papel importante no que toda a tornar a internet naquilo que ela é hoje – um fórum onde qualquer pessoa com uma boa ideia e um bom conteúdo pode alcançar uma audiência e potencialmente constituir uma carreira. No entanto, este precisa de ser um espaço seguro e eficaz. Infelizmente, nem sempre é esse o caso […] e uma experiência negativa prejudica todo o ecossistema. É por isso que, nos últimos 15 anos, temos investido em tecnologias, políticas e talentos que nos ajudem a combater problemas como a fraude publicitária”, disse o diretor da área de anúncios sustentáveis da Google, Scott Spencer, através do blogue oficial da multinacional.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.