De acordo com o comunicado do Ministério da Justiça (MJ), o novo suplemento de missão, pago a 14 meses, destina-se aos “trabalhadores das carreiras especiais e das carreiras subsistentes da Polícia Judiciária (PJ), pelo exercício de funções em condições de risco, insalubridade e penosidade” e tem um valor mensal indexado à remuneração base mensal do diretor nacional da PJ “e calculado em função das condições específicas associadas às respetivas carreiras e funções”.

Segundo o MJ, o suplemento será pago em conjunto com o salário, “prevendo-se a sua atualização anual, em função da atualização da remuneração base que lhe serve de referência”.

“Por exemplo, os trabalhadores da carreira de investigação criminal passarão a auferir um valor mensal de 996,94 euros de suplemento de missão, o que representa um acréscimo de 518,86 euros, face ao valor anteriormente auferido a título de suplemento de risco. Já na carreira de especialista de polícia científica, o acréscimo pode chegar a 663,96 euros, com o valor mensal a variar entre os 797,55 euros e os 864,02 euros, consoante as funções desempenhadas”, detalha o MJ, em comunicado.

O documento especifica ainda que, “no que toca à carreira especial de segurança da PJ, verifica-se também um aumento significativo, designadamente, de 186,55 euros, fixando-se o valor mensal nos 664,63 euros”.

O Governo classifica o suplemento como “mais um investimento na valorização das carreiras da PJ”, e lembra que em abril já havia sido atualizado o valor base por hora do trabalho de piquete e prevenção, que corresponde a um aumento de cerca de 80%.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.