Segundo a lista de 50 secretários de Estado para o XXII Governo Constitucional apresentada ao Presidente da República pelo primeiro-ministro, António Costa, a saída de Maria de Fátima Fonseca, secretária de Estado da Administração e do Emprego, é a única alteração no Ministério das Finanças.

A restante equipa de Mário Centeno mantém-se inalterada, com Ricardo Mourinho Félix como secretário de Estado Adjunto e das Finanças, João Leão na Secretaria de Estado do Orçamento, António Mendonça Mendes na Secretaria de Estado dos Assuntos Fiscais e Álvaro Novo como secretário de Estado do Tesouro.

A até agora secretária de Estado da Administração e do Emprego Público, Fátima Fonseca, transita para o novo ministério da Modernização do Estado e da Administração Pública, como secretária de Estado da Inovação e da Modernização Administrativa.

É também para este novo Ministério da Modernização do Estado e da Administração Pública, tutelado por Alexandra Leitão, que transita a Secretaria de Estado da Administração Pública, à frente da qual se estreia José Couto.

Algarvio, doutorado em Economia na Harvard University (EUA), Mário Centeno assumiu em 2015 a pasta das Finanças do XXI Governo Constitucional, sendo presidente do Eurogrupo desde dezembro de 2017.

É deputado à Assembleia da República, consultor da Administração do Banco de Portugal desde 2014 e professor catedrático no Instituto Superior de Economia e Gestão da Universidade de Lisboa (ISEG).

Ricardo Mourinho Félix é natural de Setúbal e mestre em Economia, ocupando desde 2017 o cargo de secretário de Estado Adjunto e das Finanças, que irá manter no próximo Governo.

Entre 2000 e 2001 foi adjunto do gabinete do secretário de Estado do Orçamento do XIV Governo Constitucional, entre 2004 e 2013 assumiu a coordenação do Grupo de Previsão da Economia Portuguesa do Banco de Portugal e, de 2015 a 2017, foi secretário de Estado Adjunto, do Tesouro e das Finanças.

O agora reconduzido secretário de Estado do Orçamento, João Leão, é natural de Lisboa e doutorado em Economia pelo Massachusetts Institute of Technology (MIT), nos EUA, sendo professor de Economia no ISCTE - Instituto Universitário de Lisboa desde 2008.

Foi diretor do Gabinete de Estudos do Ministério da Economia entre 2010 e 2014 e assessor do secretário de Estado Adjunto da Indústria e do Desenvolvimento entre 2009 e 2010, tendo sido membro do Conselho Económico e Social entre 2010 e 2014 e do Conselho Superior de Estatística entre 2010 e 2014 e integrado a delegação portuguesa no Comité de Política Económica da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) em 2010 e 2012.

Natural de Coimbra, António Mendonça Mendes mantém também no próximo Governo a pasta de secretário de Estado dos Assuntos Fiscais, que ocupa desde 2017.

Mendonça Mendes é licenciado em Direito pela Universidade de Coimbra e foi assessor do secretário de Estado da Justiça do Governo de Portugal entre 1999 e 2002. De 2005 a 2008 foi chefe do gabinete da secretária de Estado dos Transportes do Governo de Portugal e de 2009 a 2011 foi chefe do gabinete da ministra da Saúde, assumindo depois, até 2013, o cargo de diretor na Refer – Rede Ferroviária Nacional, com responsabilidades nas áreas de Capital Humano, Assuntos Jurídicos e Organização.

O também reconduzido secretário de Estado do Tesouro, Álvaro Novo, nasceu em Estarreja e é doutorado em Economia na University of Illinois, Urbana-Champaign (EUA), sendo técnico-consultor do Banco de Portugal desde 2001 e professor associado-convidado do ISEG, Universidade de Lisboa e da Nova Information Management School.

Entre 2008 e 2012 foi presidente do Grupo de Trabalho das Estatísticas do Mercado de Trabalho do Conselho Superior de Estatística e desempenhou funções de economista-chefe do gabinete do ministro das Finanças, Mário Centeno, entre dezembro de 2015 e fevereiro de 2017. Assumiu desde essa data a Secretaria de Estado do Tesouro.

O primeiro-ministro, António Costa, apresentou ao Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, uma equipa de 50 secretários de Estado para o XXII Governo Constitucional, entre eles 18 mulheres.

No total, incluindo o primeiro-ministro, o XXII Governo Constitucional terá 70 elementos, somando ministros e secretários de Estado, dos quais 26 mulheres e 44 homens. O peso das mulheres no conjunto do novo Governo será de 37,1%.

O anterior executivo de António Costa, o XXI Governo Constitucional, tinha 17 ministros (passa agora para 19), 43 secretários de Estado, 17 dos quais mulheres. No total, entre primeiro-ministro, ministros e secretários de Estado, a atual equipa anterior tinha 61 governantes.

(Artigo atualizado às 14:41)

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.